Menu
SADER_FULL
sábado, 12 de junho de 2021
Busca
Brasil

Simone Tebet defende democratizar rateio de ICMS Ecológico

11 Dez 2009 - 14h21Por TV Morena

A prefeita de Três Lagoas Simone Tebet (PMDB) avalia que o atual modelo de rateio do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) entre os 78 municípios de Mato Grosso do Sul “tem algumas injustiças”. Ela é defensora de mudanças no modelo de distribuição do ICMS Ecológico.

Ontem, Simone foi sondada por telefone pelo governador André Puccinelli (PMDB) sobre a possibilidade de apoiar um novo modelo de rateio do ICMS defendido por 60 prefeitos do Estado. Hoje, ao Midiamax, ela esclareceu que ainda não conhece a proposta, mas já não demonstra tanta resistência à alteração.

Simone foi um dos opositores à proposta quando ela foi originalmente apresentada pelo deputado estadual Júnior Mochi (PMDB) em 2007. A proposta retira ICMS das cidades mais abastadas para que as mais pobres possam receber um pouco mais, daí o apelido Robin Hood.

Porém, hoje, ela tem outra postura em relação ao assunto. “Três Lagoas não se importaria de perder R$ 30 milhões ou R$ 40 milhões por mês desde que os pequenos ganhem e que o critério seja justo e permanente”, comentou.

Contudo, para promover Justiça na distribuição do tributo Simone propõe outra alternativa, diferente da apresentada ontem pelos prefeitos. Ela sugere mexer unicamente no ICMS Ecológico.

“Acho que o ICMS Ecológico deveria beneficiar os municípios que tem coleta de lixo, reciclagem e aterro sanitário de forma que beneficiaria mais municípios”, propõe. Hoje, o ICMS Ecológico beneficia municípios que tenham as chamadas APAs (Áreas de Proteção Ambiental).

A proposta apresentada ontem reduz o índice do ICMS Ecológico de 5% para 2%. Simone não concorda. Insiste que para se fazer justiça, o ICMS Ecológico não pode focar apenas “na área florestal”, mas beneficiar também os municípios que dão destinação correta ao lixo e não poluem o ar.

Os prefeitos gostariam que o projeto fosse aprovado na Assembleia ainda este ano de modo que os novos critérios entrariam em vigor em 2011. Mas, para isso, precisam vencer a resistência do prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad (PMDB).

Pelas regras atuais, o ICMS é distribuído levando-se em conta os seguintes critérios: cota igualitária 7%, população 5%, extensão territorial 5%, ecológico 5% e receita própria 3%, totalizando 25% do ICMS arrecadado no Estado.

Pela proposta dos prefeitos, os critérios ficam da seguinte forma: cota igualitária 11%, população 5%, extensão territorial 5%, ecológico 2% e receita própria 1%, totalizando 24% da receita do ICMS. O 1% que ficou fora deste bolo é que vai compor o fundo compensatório.

Ao final dos três anos, este 1% será incorporado à cota igualitária que passará para 12%.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

CÓDIGO DE TRÂNSITO
Mudanças no código de trânsito brasileiro e suas implicações para motoristas
ESPORTE PELO MUNDO
Em fase artilheira no Cazaquistão, lateral Bryan, ex-Cruzeiro, valoriza presença e relacionamento
FOTO: Só Notícias / Luan Cordeiro / ASSESSORIA COPA AMÉRICA 2021 - NO BRASIL
COPA AMÉRICA: Confira as 06 Seleções que jogarão na Arena Pantanal
biden vacinas capa 696x487 SOLIDARIEDADE
Biden anuncia que vai mandar vacinas para o Brasil e outros países
FENÔMENO RARO
Junho tem Eclipse Solar, Lua de Morango e dia mais longo do ano
PROTESTOS PELO BRASIL
29M pelo fora Bolsonaro chegou a mais de 200 cidades e ganhou as redes sociais
ATENTADO AO PUDOR
Prostitutas exibem partes íntimas no meio da rua, moradores reclamam, Vídeos
NA BRONCA
Bolsonaro aciona STF contra decretos estaduais que impõem restrições para conter Covid-19
BARBÁRIE
Homem encontra partes do corpo do filho em rio
FENÔMENO RARO
Super Lua de Sangue e Eclipse total acontece nesta quarta