Menu
SADER_FULL
terça, 20 de abril de 2021
Busca
Brasil

Siemens vai manter a unidade de celular

3 Ago 2004 - 14h20
Apesar do fraco desempenho do segundo trimestre, a alemã Siemens pretende manter a unidade de celulares, que dá prejuízo, e prevê crescimento com o lançamento de novos modelos, informou nesta segunda-feira um dos executivos da empresa, Lothar Pauly. "Tínhamos que escolher entre reestruturar, fechar ou vender a unidade de telefones celulares", disse Pauly para repórteres no lançamento de um novo modelo de celulares. "Iremos reestruturá-la", afirmou.

Ele admitiu, no entanto, que a redução de preços anual dos aparelhos celulares entre 10% e 15% vai continuar este ano. A Siemens divulgou prejuízo de 88 milhões de euros (US$ 106 milhões) em sua unidade de aparelhos celulares no segundo trimestre, conforme a carência de novos modelos e a guerra de preços liderada pela Nokia pesaram nas vendas.

Pauly não quis confirmar o comentário que o presidente-executivo, Heinrich von Pierer, fez na semana passada, de que estava confiante que o negócio de celulares voltaria ao azul no atual trimestre. "O senhor von Pierer disse tudo que precisava ser dito", afirmou Pauly, acrescentando que "estamos bastante confiantes que cresceremos mais rápido que o mercado".

Sobre os cortes de custos, Pauly disse que as sinergias oriundas da recente fusão das duas unidades de telecomunicações da Siemens --que ele vai chefiar - serão quantificadas no próximo orçamento da empresa, a ser formulado em novembro. Ele afirmou também que ocorrerão cortes de vagas, mas não forneceu o número.

Muitos investidores gostariam que a Siemens abandonasse o mercado de aparelhos celulares, alegando que riscos do mercado não combinam com o perfil do conglomerado industrial, que produz desde turbinas e trens, até máquinas de raio-X. E a fusão recentemente anunciada da Siemens Mobile e a fábrica de aparelhos para telefonia fixa, ICN, incentivou rumores de que o fechamento da unidade de celular. E a fusão recente das duas áreas seria um indício disso.

Pauly, no entanto, disse que a fusão é justificada por seus mercados e tecnologias convergentes, e que os aparelhos móveis são parte disso. "Vamos investir nos telefones celulares. Vamos resolver todas as deficiências que temos", disse, acrescentando que o tempo estimado para colocar a unidade em forma é de 12 a 18 meses.

 

Terra Redação

Deixe seu Comentário

Leia Também

VITIMA DA COVID 19
Vídeo: enfermeiro que receitava cloroquina se passando por médico morre de Covid-19
OS AMORES DO REI
Roberto Carlos teve três casamentos, paixões secretas e perdas em seus 80 anos
JUVENTUDE EM ALERTA
Covid: Variante acelera intubação de jovens e SP orienta procurar ajuda no 1º dia de sintomas
ATAQUE CANINO
Pit bull mata criança de 2 anos e deixa o irmão dela ferido
VIDEO CAPIVARA NA IGREJA
Capivara invade igreja: 'acho que ela veio rezar conosco', brinca Padre
BEBEDEIRA
Idoso conhece mulher, leva para casa é atacado a facadas
ROUBO DE CARGA
Três mil pessoas roubam carga de carne após carreta tombar e provocam novo acidente
AUXILIO POPULAÇÃO
Caixa credita 1ª parcela do Auxílio Emergencial nesta quinta para nascidos em maio
mulher carro beltrao 1 VIDEO
Mulher cai e fica ferida após ser flagrada em cima de carro em movimento
DESESPERADOR
Covid-19: Brasil registra 3.808 mortes em 24 horas