Menu
BANNER EMAGRECEDOR VICENTINA
terça, 13 de abril de 2021
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
Brasil

Sete mil empresas de MS podem parcelar débitos do Simples

18 Ago 2004 - 07h57
Em 1996, o governo criou o Simples, para descomplicar o pagamento de impostos pelas micro e pequenas empresas. O sistema unificou e facilitou o recolhimento dos tributos, mas não evitou que muitos ficassem devedores. Em Mato Grosso do Sul, o valor da dívida já passa de R$ 57 milhões. São sete mil empresas devedoras no Estado, que poderão parcelar o débito em até 60 vezes. Os empresários só precisam ficar alerta: o prazo começou a correr e os interessados podem negociar os débitos até 30 de setembro.

Em entrevista ao Bom Dia MS, Tânia Mara Sousa, disse que para parcelar os débitos de até 50 mil, os contribuintes podem procurar diretamente pela internet. Acima desse valor devem seguir para a procuradoria ou na secretaria da receita federal. A divida já está corrigida pelo sistema não vai haver desconto, mas pode ser parcelada. Quem não aderir pode ser excluído do Simples e não vai mais poder parcelar.
 
Bom Dia MS

Deixe seu Comentário

Leia Também

EXEMPLAR
Cidade modelo que vacinou 64% da população vê casos de covid-19 caírem 78%.
NOVO CÓDIGO DE TRANSITO
Novo Código de Trânsito entra em vigor na segunda-feira; veja mudanças
LOCKDOWN É A SOLUÇÃO?
Araraquara X Bauru: dois retratos do Brasil com e sem lockdown contra a covid-19
AGRICULTURA SUSTENTAVEL NO MUNDO
II Congresso Mundial de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta deve receber 1 mil inscrições
MORTANDADE
Brasil bate marca de 4 mil mortes por Covid registradas em um dia pela 1ª vez
COPA LIBERTADORES
Santos vence o San Lorenzo na Argentina e abre vantagem por vaga nos grupos da Libertadores
FATALIDADE
Técnico de informática morre após levar choque a partir de fone de ouvido
CANALHA
Pai comete estupro e diz que filha precisa saber "como é ter um homem"
SOB INVESTIGAÇÃO
Cantor gospel e pastor é encontrado morto e amarrado em árvore
CONTAMINAÇÃO
Igrejas superam mercado e consultório médico em risco de transmissão de Covid-19, aponta estudo