Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 16 de maio de 2021
Busca
Brasil

Serra defende reformulação total do Exame Nacional do Ensino Médio

15 Out 2010 - 16h40Por G1

O candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, defendeu nesta sexta-feira (15), em evento com professores em São Paulo, a reformulação total do Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem.

"O Enem tem que ser refeito, tudo. Porque a utilização política, propagandística, acabou arruinando o Enem. Já nem falo do uso eleitoral disso, de correspondências aproveitadas com dados cadastrais do Enem, mas digo a substância mesmo, a falta de planejamento", afirmou o tucano em entrevista.

O exame, criado ainda no governo Fernando Henrique Cardoso, em 1998, avalia o desempenho de estudantes das redes pública e privada que concluíram o ensino médio no ano da prova ou em anos anteriores. Hoje já substitui o vestibular em cerca de 92 mil vagas de universidades federais. Em 2009, após reformulação do exame pelo governo Luiz Inácio Lula da Silva, a prova do Enem foi furtada após ser impressa. O vazamento das questões causou o adiamento do exame. Em agosto deste ano, dados pessoais de inscritos vazaram na internet.

Em discurso de cerca de meia hora, o ex-governador de São Paulo fez referência ao vazamento cadastral ao classificar o Enem como "sintese da desmoralização" do ensino médio no país.

"Hoje isso acabou virando instrumento de perigo para estudantes universitários que tiveram o cadastro de suas vidas exposto à manipulação de bandidos", disse Serra, que defendeu uma "reforma estrutural" no ensino médio. "É obsoleto, ineficiente, custoso e cruel com a juventude, porque não lhe abre portas para o futuro", disse.

Críticas ao ensino superior federal
O presidenciável também reservou críticas ao ensino superior federal. Apontou falta de articulação com o ensino superior privado e o oferecido por estados e municípios. "É uma total descoordenação", definiu.

Sem citar números, o tucano apontou redução no número de formandos no ensino superior federal durante o governo Luiz Inácio Lula da Silva, defendendo o indicador como melhor forma de avaliar o dsempenho do setor.

Para defender a atuação da gestão petista no setor, o presidente Lula e a campanha de Dilma Rousseff apontam com frequência o maior número de universidades federais criadas pelo PT no Planalto.


O encontro do Dia do Professor organizado pela campanha tucana reuniu cerca de mil pessoas, a maior parte educadores das redes municipal e estadual na Grande São Paulo.

O candidato, que se definiu como professor ("Foi praticamente a única atividade que tive"), defendeu políticas para o setor adotadas por gestões tucanas na Prefeitura de São Paulo e no governo do estado, como o emprego de duas professoras por sala no primeiro ano do ensino fundamental e a instituição de bônus por desempenho.

Serra também criticou o sindicato dos professores do estado de São Paulo, que tem um histórico de greves e confrontos com a gestão tucana no estado. Apontou "aparelhamento político" no sindicalismo da educação paulusta, citando como exemplo multa de R$ 7.000 aplicada em maio pela Justiça Eleitoral ao Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp), por propaganda eleitoral negativa contra sua candidatura.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SONHO INTERROMPIDO
Agente educacional morta em ataque a creche em Saudades queria fazer intercâmbio no Canadá
PESQUISA PRESIDENCIAL
Datafolha mostra Lula disparado na corrida eleitoral
NOVA INFECÇÃO
Covid-19: após 3 semanas de queda, casos de coronavírus avançam no Brasil puxados por 9 Estados
TRISTEZA NA FAMILIA
Seis pessoas da mesma familia morrem vítimas da Covid-19
NOVAS REGRAS
WhatsApp: o que acontece se você não aceitar novas regras do aplicativo até 15 de maio
FAMOSIDADES
Pai da campeã do 'BBB 21' Juliette vive em casinha de barro na Paraíba
CACHAÇA
Jovem enfia garrafa no ânus durante bebedeira e vai parar no hospital
ESCALADA DA VIOLÊNCIA
Operação mais letal da história deixa 25 mortos no Jacarezinho
VITIMA DO MASSACRE
'Fiquei vendo costurarem os ferimentos. Chorava, orava e agradecia por ele estar vivo, diz mãe
FRIO - FÁTIMA DO SUL NOVA ONDA DE FRIO
Frio de origem polar começa a ser sentido novamente e terá geada