Menu
SADER_FULL
domingo, 13 de junho de 2021
Busca
Brasil

Sarney diz que vai instalar CPI do MST na próxima semana

10 Out 2009 - 09h11Por Folha Online

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), disse que vai instalar a CPI mista (com deputados e senadores) do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra) no Congresso caso a oposição formalize o pedido de criação da comissão na semana que vem. Sarney prometeu ler o requerimento que cria a CPI em sessão do Congresso depois que o pedido for protocolado na Mesa Diretora do Legislativo.

"A minha função como presidente não é fazer juízo de valor sobre comissões de inquérito, mas uma vez que cumpram formalidade legal com número apresentado em plenário e instituir a comissão. Isso eu farei", afirmou.

Para que a CPI seja instalada, a oposição precisa protocolar o pedido de sua criação na Mesa Diretora do Congresso com as assinaturas de, pelo menos, 171 deputados e 33 senadores favoráveis à comissão. DEM e PSDB afirmam já ter reunido 172 assinaturas na Câmara e outras 33 no Senado, mas prometem continuar a coleta de assinaturas até a semana que vem --quando vão formalizar o pedido de criação da CPI.

Depois de apresentado, o pedido precisa ser lido em sessão do Congresso, presidida por Sarney. "Na primeira reunião do Congresso, nós faremos a leitura, não tenho dúvidas", disse o presidente do Senado.

Na opinião de Sarney, a invasão de uma fazenda produtora de laranjas no interior de São Paulo esta semana por integrantes do MST ajudou a oposição na coleta de assinaturas.

"A invasão de SP foi lamentável e, naturalmente, a força desse fato deve influenciar um pouco a motivação dos parlamentares de quererem uma comissão de inquérito", afirmou.

Assinaturas

A oposição ainda não decidiu se vai protocolar o pedido de criação da CPI na próxima terça-feira. Nos bastidores, deputados oposicionistas temem a retirada de assinaturas do pedido, o que inviabiliza a comissão --a exemplo do que ocorreu na semana passada, quando o primeiro pedido de criação da CPI do MST naufragou depois da debandada de deputados da base aliada.

Os líderes oposicionistas afirmam que, desta vez, a coleta de assinaturas foi "seletiva", informando a todos os parlamentares que eles seriam pressionados a retirar assinaturas.

"Dessa vez, nós fizemos coleta individual, conversamos e não procuramos quem retirou as assinaturas anteriores. Esses nós fizemos questão de esquecer. O episódio em São Paulo nos ajudou bastante. Fomos surpreendidos com deputados que nem fazem parte dessa causa", disse o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS).

Deixe seu Comentário

Leia Também

CÓDIGO DE TRÂNSITO
Mudanças no código de trânsito brasileiro e suas implicações para motoristas
ESPORTE PELO MUNDO
Em fase artilheira no Cazaquistão, lateral Bryan, ex-Cruzeiro, valoriza presença e relacionamento
FOTO: Só Notícias / Luan Cordeiro / ASSESSORIA COPA AMÉRICA 2021 - NO BRASIL
COPA AMÉRICA: Confira as 06 Seleções que jogarão na Arena Pantanal
biden vacinas capa 696x487 SOLIDARIEDADE
Biden anuncia que vai mandar vacinas para o Brasil e outros países
FENÔMENO RARO
Junho tem Eclipse Solar, Lua de Morango e dia mais longo do ano
PROTESTOS PELO BRASIL
29M pelo fora Bolsonaro chegou a mais de 200 cidades e ganhou as redes sociais
ATENTADO AO PUDOR
Prostitutas exibem partes íntimas no meio da rua, moradores reclamam, Vídeos
NA BRONCA
Bolsonaro aciona STF contra decretos estaduais que impõem restrições para conter Covid-19
BARBÁRIE
Homem encontra partes do corpo do filho em rio
FENÔMENO RARO
Super Lua de Sangue e Eclipse total acontece nesta quarta