Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 3 de junho de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
brasileirão

São Paulo está em posição inferior à do Palmeiras em 2012

O São Paulo virou o turno na zona do rebaixamento

10 Set 2013 - 09h32Por Folha

O São Paulo virou o turno na zona do rebaixamento, como o Palmeiras, que caiu de divisão em 2012.

O time do Morumbi tem 18 pontos, dois a mais do que o rival paulista no ano passado, mas está em uma posição inferior na tabela.

Na mudança de turno em 2012, o Palmeiras estava em 17°, com 16 pontos, e só um a menos do que o Bahia, que era o primeiro time fora da zona do descenso.

O São Paulo hoje é o 18° e tem quatro pontos para o primeiro que se salvaria.

Na temporada passada, os quatro times que viraram o turno entre os últimos foram à Série B --além do Palmeiras, caíram Sport, Atlético-GO e Figueirense.

O Palmeiras também trocou de treinador para se manter na Série A, mas esperou um pouco mais para demitir Luiz Felipe Scolari e contratar Gilson Kleina.

O atual técnico da seleção caiu em 13 de setembro, mas o Brasileiro estava na 24ª rodada --o deste ano parou em junho para a disputa da Copa das Confederações.

Deixe seu Comentário

Leia Também

COVID-19
Brasil registra mais de 31 mil mortes por covid-19
COISA MEDONHA
Mulher é desenterrada e estuprada um dia após ser sepultada
DOURADOS - NOVO EPICENTRO COVID-19
Dourados é novo epicentro do coronavírus em MS com mais de 300 casos confirmados
AUXÍLIO EMERGENCIAL
Caixa LIBERA 2ª parcela do auxílio de R$ 600 em contas dos beneficiários, veja os meses
ABSURDO
Médica relata ter sofrido agressões por parte de frequentadores de 'festas de corona'
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Menino de 9 anos, acidentalmente mata irmã de 7 anos com espingarda
TRAGEDIA NA RODOVIA
Mulher gravida e marido morrem e criança fica ferida em acidente trágico
PANDEMIA CORONAVIROS
Vai ser ''um massacre'', diz ex-diretor da Saúde sobre flexibilizar isolamento
BOA NOTICIA
Bolsonaro diz que auxilio emergencial pode ter quarta parcela, mas pagando menos
PRAZO MÁXIMO
Acordo prevê máximo de 20 dias para análise de auxílio emergencial