Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quinta, 28 de maio de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Salário mínimo pode ser reajustado por Medida Provisória

21 Mar 2007 - 05h45

O ministro do Trabalho, Luiz Marinho, disse nesta terça-feira, na abertura da audiência pública da Comissão Especial do Salário Mínimo, na Câmara, que o governo estuda editar uma medida provisória para reajustar o valor de R$ 350 para R$ 380 a partir de 1º de abril. Marinho lembrou que o governo tinha assumido o compromisso de aumentar o índice por projeto de lei, mas acredita que o Congresso não o aprovará a tempo.

A decisão sobre a MP deverá ser tomada até o dia 25. No ano passado, o salário mínimo também foi reajustado por medida provisória. Marinho observou que, no primeiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o salário mínimo teve aumento médio de 8,5% ao ano acima da inflação. O ministro disse ainda que trouxe da experiência como presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) a consciência de que é necessário criar uma política permanente de reajuste do salário mínimo, que torne previsível o aumento do índice.  

 

 

 

Extra

Deixe seu Comentário

Leia Também

AUXILIO EMERGENCIAL
A 2ª parcela do auxílio de R$ 600 foi cancelada? Saiba como resolver o problema
CORONAVIRUS NO BRASIL
Covid-19: Brasil passa dos 400 mil casos confirmados e 25 mil mortes
MORTES CONTINUAM
Brasil é o 2º país no mundo com infectados com o coronavirus
FRAUDE
URGENTE! 160 mil possíveis FRAUDES no auxílio emergencial de R$600
COVID-19
URGENTE! Zezé Di Camargo e Luciano testam positivo para a Covid-19
BONITO - MS - COVID-19
Pandemia faz empresas demitirem 29% dos funcionários do setor de turismo de Bonito (MS)
VITIMA DA COVID 19
'Mãe' de Jojo Todynho morre de Covid-19
FÁTIMA DO SUL - O BOTICÁRIO
Dia dos Namorados é no O Boticário, confira o catálogo digital, entrega em casa em Fátima do Sul
COVID-19
Dois integrantes da banda de Zezé Di Camargo e Luciano testam positivo para coronavírus
FEMINICIDIO
Filha de 12 anos faz homenagem para vítima de feminicídio: 'te amarei para sempre'