Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 12 de abril de 2021
Busca
Brasil

RS deverá ter fortes temporais e granizo amanhã

15 Out 2004 - 13h09
O Rio Grande do Sul deve ser atingido amanhã por fortes temporais, acompanhados, em alguns momentos, de rajadas de vento e granizo. A informação é da Rede de Estações de Climatologia Urbana de São Leopoldo, na Região Metropolitana de Porto Alegre.

De acordo com alerta meteorológico divulgado hoje pela manhã, chuvas intensas e torrenciais ocorrerão em todo o Estado, mas principalmente na metade sul e no oeste. A precipitação pode atingir de 100 a 150 milímetros em apenas 24 horas.

Existe "elevado risco de alagamentos, inundações e de súbita elevação do nível de rios e córregos em áreas urbanas e rurais", diz o alerta.

A instabilidade, segundo o alerta, "será resultado da rápida intensificação de uma frente fria, associada a um sistema de baixa pressão, sobre o norte do Uruguai e sul do Rio Grande do Sul na noite de hoje e primeiras horas de amanhã".

Os temporais também acontecerão em alto mar, portanto há risco para a navegação.

 

Terra Redação

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVO CÓDIGO DE TRANSITO
Novo Código de Trânsito entra em vigor na segunda-feira; veja mudanças
LOCKDOWN É A SOLUÇÃO?
Araraquara X Bauru: dois retratos do Brasil com e sem lockdown contra a covid-19
AGRICULTURA SUSTENTAVEL NO MUNDO
II Congresso Mundial de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta deve receber 1 mil inscrições
MORTANDADE
Brasil bate marca de 4 mil mortes por Covid registradas em um dia pela 1ª vez
COPA LIBERTADORES
Santos vence o San Lorenzo na Argentina e abre vantagem por vaga nos grupos da Libertadores
FATALIDADE
Técnico de informática morre após levar choque a partir de fone de ouvido
CANALHA
Pai comete estupro e diz que filha precisa saber "como é ter um homem"
SOB INVESTIGAÇÃO
Cantor gospel e pastor é encontrado morto e amarrado em árvore
CONTAMINAÇÃO
Igrejas superam mercado e consultório médico em risco de transmissão de Covid-19, aponta estudo
CRISE NA PANDEMIA
Número de brasileiros que vivem na pobreza quase triplicou em seis meses, diz FGV