Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 17 de janeiro de 2021
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
Brasil

Robinho vai à Justiça para tentar romper contrato com a Nike

16 Mar 2011 - 13h30Por Folha Online

A disputa entre Robinho e Nike chegou à Justiça do Brasil. O atacante entrou ontem com ação na 5ª Vara Cível de Santos, para tentar romper seu contrato com a empresa.

No último dia 4, a Folha revelou a existência do litígio entre Robinho e Nike. A companhia, que o patrocina desde 2002, veste a seleção brasileira desde 1996.

 

  Victor Fraile - 14.jan.2007/Reuters  
Robinho usa chuteira da Nike com o seu nome na época em que defendia o Real Madrid
Robinho usa chuteira da Nike com o seu nome na época em que defendia o Real Madrid

Até ontem, havia uma ação correndo na Justiça da Holanda. Lá, a Nike ganhou em primeira instância.

Robinho, 27, entende que seu contrato com a Nike terminou no dia 1º de dezembro de 2010. A companhia argumenta que o documento prevê renovação automática até 30 de novembro de 2014.

A Folha teve acesso a cópias dos contratos, do processo que corre na Holanda e da ação de Robinho contra a Nike na Justiça brasileira.

O Tribunal Judicial de Amsterdã decidiu que o atleta deve cumprir o contrato até 2014. E fixou uma multa de 300 mil euros (cerca de R$ 700 mil) por dia caso ele não use os produtos da marca. Robinho recorreu. Mas, enquanto espera o resultado de seu recurso na Holanda, resolveu acionar a Justiça no Brasil.

GUERRA

Robinho exibe neste caso a mesma disposição para brigar que demonstrou ao deixar o Santos, o Real Madrid e o Manchester City.

O atacante, que saiu de maneira conturbada de todos os clubes que defendeu antes de chegar ao Milan, está disposto a enfrentar uma guerra contra a mais antiga patrocinadora da CBF.

Para isso, cita até a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que investigou a empresa em 2000 e 2001.

"[A Nike] já é, há algum tempo, alvo de controle das autoridades brasileiras, por seus contratos abusivos...", diz trecho da ação contra a multinacional, assinada pela advogada Marisa Alija.

No documento, o jogador acusa a empresa de propositalmente fazer contratos diferentes em inglês e português, com o objetivo de enganá-lo.

A companhia rebate. Diz que o atleta leu as duas versões do contrato antes de assiná-lo. E que Robinho e seus representantes concordaram com a prioridade à versão em inglês em caso de conflito.

Na ação, a defesa do jogador pede que a Justiça declare encerrado o contrato e ainda cobra uma indenização.

Mas também sugere a alternativa de fixar "uma cláusula penal justa" para quebrar o vínculo, caso este seja considerado válido.

No caso de rompimento unilateral, ou se o atacante assinar com outra empresa, o contrato prevê uma indenização mínima de três vezes tudo o que atleta recebeu da multinacional desde 2002.

Robinho considera a cláusula abusiva e "impagável".

A empresa, além de lembrar que o jogador concordou em assinar, diz que é uma forma de evitar que terceiros paguem a multa para "roubar" seus contratados.

Procurada novamente pela reportagem ontem, a Nike informou que vai esperar uma decisão da Justiça brasileira para se pronunciar.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAIU O EDITAL
Com salário de até R$ 23,6 mil, Polícia Federal abre inscrição em concurso no dia 22
DESESPERO EM MANAUS
Médicos e familiares de pacientes descrevem colapso com falta de oxigênio em Manaus; leia relatos
AUXILIO POPULAÇÃO
Caixa libera saque da última parcela do auxílio emergencial a aniversariantes em julho
HORROR NA NOITE
Crianças são encontradas chorando ao lado de corpos de pais assassinados
DOR E DESCASO
Filho é obrigado abrir cova para enterrar próprio pai por não encontrar coveiro em cemitério
SEUS DIREITOS
Trabalhador afastado por Covid-19 tem direito a auxílio-doença do INSS
COM DESCONTOS
Veja as opções de pagamento do IPVA com desconto
CASA PRÓPRIA
Casa Verde e Amarela substitui Minha Casa Minha Vida com opção para renegociar dívidas e menos juros
FINALISTA LIBERTADORES
Santos atropela Boca Jr e terá o Palmeiras numa final Brasileira
TRAGÉDIA NA PONTE
Motorista morre após caminhão cair de ponte