Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 16 de agosto de 2022
SADER_FULL
Busca
Brasil

Rios da região de Dourados estão infestados do bagre africano

16 Set 2010 - 15h48Por Dourados Informa

O desequilíbrio entre os cardumes nos rios da Grande Dourados está se acentuando com a infestação de bagres africanos que comem com uma ferocidade incomum alevinos de outras espécies e se reproduzem rapidamente.

Há menos de um ano eles começaram a aparecer nos rios Ivinhema, Dourados e Brilhante e tem sido pescados cada vez com maior freqüência e em grande quantidade.

É um siluriforme originário das bacias do nilo e de algumas regiões tropicais da África (Clarias gariepinus) . Introduzido no Brasil na década de 80 na aqüicultura comercial sob os argumentos de boa conversão alimentar, rusticidade, e precocidade.

De fato o peixe não escolhe comida, agüenta altos índices de poluentes, baixos níveis de oxigênio dissolvido, cresce rápido (conversão de 3:1). Como se tudo isso não fosse o suficiente ainda consegue "andar" (arrasta-se com ajuda das nadadeiras peitorais) e "respirar" (tem a capacidade de usar ar atmosférico para complementar uma oxigenação deficiente) fora da água, fazendo uso dessa capacidade para mudar de endereço toda vez que o córrego ou lago em que está não é satisfatório.

Esse predador noturno causou uma invasão silenciosa em rios e lagos do Sudeste. Rios como o Guandu, Tinguá, Iguaçu, Macaé, assim como suas bacias hidrográficas estão infestadas de bagres africanos em diversas fases de crescimento, prova irrefutável de sua capacidade reprodutiva fora de suas águas nativas. E chegaram rapidamente à Grande Dourados.

Nas bacias hidrográficas do Sudeste ele já é considerado a 2ª causa da acentuada diminuição das populações nativas de crustáceos, peixes e moluscos.

Assim como vários organismos equivalentes, não houve um estudo de impacto ambiental adequado antes do início da importação de matrizes, assim o lobby importador foi mais forte.

O problema começou quando se iniciou o processo de venda do produto final, já que sua aparência, um peixe branco pálido e cujo sabor ninguém conhecia, fazia os apreciadores de peixe escolherem outras espécies. O resultado não tardou a aparecer e centenas de criadores frustrados com a experiência resolveram esvaziar os tanques para voltarem a engordar os pacus, tambacus, tilápias, e outros. Os peixes foram para os córregos, vivos e com alta capacidade reprodutiva.

 Um grupo local pescou dias atrás uma grande quantidade no Rio Dourados. Eles são mais encontrados em lagoas e nas “bocas do rio”. A carne é bem apreciada, parecida com a do Pintado.

 

Leia Também

MORADIA
Projeto cria programa para auxiliar professores na compra de casa própria
CARTÃO DE CRÉDITO
Um em cada três brasileiros foi vítima de fraude com cartão de crédito
ACIDENTE FATAL
Motociclista de 27 anos bate na traseira de trator e morre em vicinal
TRAGEDIA NA RODOVIA
Sete pessoas morrem e três ficam feridas em acidente entre caminhão e van
AUXILIO POPULAÇÃO
Governo libera empréstimo consignado para beneficiários do Auxílio Brasil
TRAGÉDIA
Carro explode durante abastecimento e amputa pernas de frentista
NOITE DE TERROR
Moradores relatam medo vivido em confronto com oito mortos
ACIDENTE DE TRABALHO FATAL
Trabalhador morre soterrado ao fazer limpeza em silo de grãos
AGRESSÃO NA ESCOLA
Mulher invade escola e espanca aluna a pauladas
COVID NO BRASIL
Covid-19: Brasil ultrapassa o número de 680 mil mortos pela doença