Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 28 de setembro de 2020
SADER_FULL
Busca
ZANZI
Brasil

Renda não acompanha o crescimento do crédito

16 Ago 2010 - 13h50Por Fátima News com assessoria

Banco Central divulga previsão de crescimento de 10 a 11% de crédito, tendo aumento de 24,5% somente no pessoal (até maio deste ano). O saldo de crédito concedido é de R$ 183, 133 bilhões em maio, ante R$  178,706 bilhões em abril de 2010. No entanto, o consultor de negócios do Sicredi, Jefferson Limonge, alerta para o fato de a renda do trabalhador não acompanhar o movimento e manter-se instável.

“Todo este movimento é  absolutamente salutar, indicando um excedente de liquidez no mercado  financeiro, que conseqüentemente disponibiliza crédito, estimula a  atividade industrial, o consumo interno, advindo de uma fartura  agressiva em propaganda de estímulos ao consumo das famílias”, explica o consultor de negócios.

Recentemente, o Governo fez uma programação de incremento no compulsório dos bancos, no qual ainda segundo Limonge, haverá uma diminuição gradual da oferta de dinheiro no 
mercado, mantendo então o controle inflacionário: “O importante é fazer com que as  pessoas tenham um incremento na renda e que parte desta seja  voltada a poupança. É necessário que as pessoas possuam um programa  orçamentário que controle seus gastos e investimentos, além de  programar suas reservas financeiras”.

Segundo o economista Fernando Abrahão, o acesso ao crédito é uma forma de injetar a moeda no mercado e estimular o consumo, principalmente no setor varejista, que deve ser ponderado; caso contrário, resulta na inadimplência, fato já preocupante. Ele ainda comenta que, apesar do aumento da Selic, as financeiras devem apresentar bons resultados, pois aumentos crescentes e graduais não são sentidos de imediato pelo consumidor.

Contudo, índice da Serasa Experian, empresa especializada na análise de crédito, divulga que a expectativa para a inadimplência do consumidor aumentou 0,3%. E a pesquisa também mostra expectativa de recuo na taxa de inadimplência das empresas na segunda metade do ano, que caiu 1,4% em maio, pelo 13º mês consecutivo.

Além de evitar a inadimplência, os consumidores necessitam refletir a possibilidade de armazenar reservas. “Certamente num futuro próximo, o País pode sofrer com a  falta de poupança das famílias, fazendo com que  certos orçamentos ou rubricas governamentais para determinados  programas possam ser comprometidos”, argumenta Jefferson Limonge.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Motorista registrou a travessia de uma jiboia na avenida Ayrton Senna, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. FORA DO HABITAT
VÍDEO: motorista flagra jiboia cruzando pista de avenida no RJ: 'olha isso'
Só queria que me entendessem sem preconceito! PRECONCEITO
Jovem é expulso de casa ao assumir namoro com mulher trans
Yan e um comparsa renderam mãe e filha na rua CRIMINOSO
Bandido morto pela PM arrancou família de carro e agrediu mulher uma semana antes
O diesel não sofreu reajuste. + ALTA
Gasolina sobe 4% nas refinarias, anuncia Petrobras
O total de mortes causadas por covid-19 chega a 138.108, um acréscimo de 0,6% sobre a soma de segunda Saúde
Covid-19: Brasil tem 33,5 mil novos casos e 836 mortes em 24 horas
HERANÇA PORTUGUESA
A herança portuguesa na vida cotidiana do Brasil
Os beneficiários nascidos em janeiro  3,9 milhões de pessoas  poderão sacar AJUDA FINANCEIRA
Caixa paga nova parcela do auxílio emergencial para 5,6 milhões de pessoas
o maior programa de assistência aos mais pobres no Brasil e talvez um dos maiores do mundo PRESIDENTE NA ONU
Bolsonaro diz que brasileiros receberam mil dólares de auxílio
Imagem: Reprodução/Balanço Geral Londrina FUGA EM MASSA
Presos fogem de cadeia após surto de Covid-19
Material estava dentro de uma bexiga e enrolado com fita isolante PROFUNDEZAS DO CRIME
8 celulares e outros materiais são retirados do ânus de preso