Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sexta, 30 de outubro de 2020
SADER_FULL
Busca
JUNINHO DENTISTA NOVO
SAÚDE

Remédio para câncer é eficaz no tratamento de cegueira de idosos

12 Jun 2010 - 05h33Por Folha Online

Remédio usado contra o câncer, o Avastin, poderia melhorar a visão dos idosos em degeneração macular, segundo um estudo publicado no "British Medical Journal".

Os cientistas responsáveis pelo estudo perceberam que este remédio melhora a visão dos idosos que sofrem degeneração macular, patologia que surge com a idade e é uma das principais causas de cegueira entre os idosos.

A outra vantagem está no preço. O custo do tratamento é de 350 libras anuais (425 euros), menor do que as 10 mil libras (12,145 mil euros) anuais que custam Lucentis, medicamento prescrito até agora para a degeneração macular.

No entanto, a pesquisa do Instituto Nacional de Saúde e Excelência Clínica (Nice, na sigla em inglês) está em fase experimental e é cedo ainda para começar a receitar Avastin aos doentes com degeneração macular.

O estudo demonstrou que, além de atacar células cancerígenas, Avastin melhora a visão da maioria dos pacientes até o momento, sem efeitos colaterais.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TENTATIVA DE ESTUPRO
Vídeo mostra empresário assediando jovem na entrevista de emprego
PANE EM AVIÃO
'Sobrevivemos só com a água chuva', diz cantor de MT que ficou 24 dias na mata
PANDEMIA AINDA NÃO ACABOU
Pandemia avança e MS registra 555 novos casos de Coronavírus em apenas 24h
INCÓGNITA
Governo ainda não definiu como será o 13º de quem teve corte salarial
ANTICORPOS
Bebê nasce com anticorpos contra covid-19
Vítima contou violência sexual para a tia ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Idoso é denunciado por estuprar filha de amigos e a enteada
FENÔMENO DA NATUREZA
Evento raro: Lua Azul poderá ser vista no Dia das Bruxas
AUXILIO POPULAÇÃO
Caixa deposita auxílio emergencial nesta 5ª feira para nascidos em novembro
FOI MAL
Bolsonaro recua e revoga decreto que facilita privatização dos postos do SUS
90% RECUPERADOS
Brasil tem 158,4 mil mortes por covid-19 desde início da pandemia