Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 24 de janeiro de 2021
Busca
Brasil

Reitora da USP decide demitir 250 funcionários contratados

5 Jan 2011 - 07h48Por Folha.com

A reitoria da USP decidiu demitir cerca de 250 funcionários, contratados via CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas), que pediram aposentadoria e permanecem na ativa.

A universidade possui cerca de 15 mil servidores técnico-administrativos --parte concursada, parte contratada via CLT. Alguns já tomaram conhecimento da medida ao acessarem o holerite no sistema eletrônico.

Com o pedido de aposentadoria, o funcionário ganha o salário da ativa e o valor da aposentadoria.

Estão na lista de corte profissionais como contadores, encarregados de gestão de recursos humanos, entre outros.

Segundo comunicado interno obtido pela Folha, as demissões ocorreram "para permitir a renovação do quadro de funcionários (...) de forma a dar oportunidade de crescimento para as pessoas que estão na universidade e a possibilidade de novas contratações". A universidade afirma que todos postos serão repostos.

Outro fator apontado no documento é que muitos dos funcionários se prejudicaram ao pedir a aposentadoria antes de completarem a idade ideal --assim, não recebem o valor integral.

O texto diz ser "fundamental estabelecer regras para o período de permanência das pessoas". A reitoria ainda não se pronunciou oficialmente.

Como compensação, os demitidos receberão 40% do FGTS, um mês de aviso prévio, 13º salário proporcional e férias proporcionais e/ou vencidas.

Também haverá serviço médico oferecido pela USP durante os próximos dois anos; possibilidade de conclusão do curso para os filhos dos funcionários que estejam na escola de aplicação; ajuda para recolocação no mercado de trabalho, entre outros.

TERCEIRIZAÇÃO

O Sintusp (sindicato dos funcionários da universidade) atacou a medida. "Esses desligamentos ocorrem porque o reitor [João Grandino Rodas] pretende aumentar os terceirizados", disse Aníbal Cavali, diretor da entidade.

Para o sindicato, a medida é ilegal, pois, defendem, mesmo contratados sem concurso público, após três anos de atuação o profissional passa a ter estabilidade --e só poderia ser demitido após processo administrativo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

GANGUE DO TIJOLO
Menores entre 13 e 17 anos formam bando e fazem 'arrastão'; veja vídeo
LUZ DO DIA
Empresário é executado com três tiros dentro de carro
SELFIE DA MORTE
Professora tenta tirar selfie e morre afogada ao cair no mar
tratamento precoce prefeito curitiba 100 TRATAMENTO
"Estão no Cemitério", diz prefeito de Curitiba sobre pessoas que usaram tratamento precoce Covid-19
A CASA CAIU
Mulher invade casa e flagra namorado fazendo sexo com outra; veja vídeo
LINHA DE FRENTE
'Ele lutou até o final', diz irmã de médico de 28 anos, após quase um mês morreu de Covid-19
SEU BOLSO
Litro da gasolina sobe R$ 0,15 nas refinarias da Petrobras
ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Na calada da noite, namorado da avó estupra criança de 12 anos e é espancado por vizinhos
CONCURSO PÚBLICO
Concurso da Aeronáutica somam com as 21 mil vagas em outros concursos que a semana oferece
DEU RUIM
Jovem é atingido por raio enquanto usava celular no banheiro