Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 22 de setembro de 2020
SADER_FULL
Busca
ZANZI
Brasil

Quatro prefeituras recebem multas da 2ª Câmara do TCE/MS

11 Ago 2010 - 14h57Por Dourados News

Durante a sessão da 2ª Câmara Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso do Sul (TCE/MS), realizada nesta terça-feira (10/08) analisaram 26 processos, sendo 14 prestações de contas consideradas irregulares. Destes, cinco prefeituras do interior receberam 500 Uferms em multas. Destes, o conselheiro substituto Joaquim Martins de Araújo Filho relatou os votos do conselheiro Paulo Roberto Capiberibe Saldanha em quatro processos de prefeituras do interior que tratam de contratos de serviços.

O contrato nº 98/2006, firmado entre a Prefeitura Municipal de Ivinhema e a entidade Mitra Diocesana de Dourados – Paróquia São Paulo Apóstolo refere-se a locação de um imóvel.  O conselheiro votou pela legalidade e regularidade na formalização dos 1° e 2° termos aditivos, mas votou pela ilegalidade e irregularidade da execução do contrato pela falta de documentos como: ordens de pagamento, notas fiscais e notas de anulação de empenho. Em função disso, aplicou multa no valor de 100 UFERMS ao então prefeito, Renato Pieretti Câmara.

Em outro processo, referente ao contrato nº 003/2010, firmado entre a Prefeitura Municipal de Porto Murtinho e a Mitra Diocesana de Jardim – Paróquia Sagrado Coração de Jesus, também para locação de imóvel, o conselheiro considerou ilegal e irregular o procedimento de dispensa de licitação e formalização do contrato. O prefeito Nelson Cintra Ribeiro recebeu multa no valor de 200 UFERMS, sendo 150 UFERMS por ato praticado com grave infração a norma legal e 50 UFERMS pelo não encaminhamento de documentos ao Tribunal.

No contrato nº 1/2007 e seu 1º Termo Aditivo também foram analisados pelo conselheiro Paulo Saldanha. Firmado entre a Prefeitura Municipal de Angélica e a empresa Jaconias Viana Dutra - ME, para aquisição de combustíveis, o conselheiro votou pela ilegalidade e irregularidade na formalização do 1º Termo Aditivo e na sua execução aplicando multa de 100 UFERMS ao prefeito à época, João Donizeti Cassuci.

Finalizando, o contrato n° 5/2008 e seu 1º Termo Aditivo, firmado entre a Prefeitura Municipal de Pedro Gomes e a empresa Mauro Nogueira – ME, também para aquisição de combustíveis, o conselheiro considerou ilegal e irregular a formalização do 1º Termo Aditivo e a sua execução, aplicando multa de 100 UFERMS ao ex-prefeito, Francisco Vanderley Mota.

Deixe seu Comentário

Leia Também

No Brasil, diversos concursos públicos estão disponíveis. CONCURSOS
CRM-MS abre concurso com salários de até R$ 5 mil
 O empresário Eliel Moreira, seu Claudemir e sua família SOLIDARIEDADE
Amigos se unem e compram carro para catator de reciclagem
Cissa Amaral morreu no local e Sebastião Faria foi socorrido ACIDENTE FATAL
Enfermeira morre e policial civil fica ferido em acidente de moto
Lucas chegou a ser socorrido, mas morreu neste domingo FORAGIDOS
Jovem sai para buscar cachorro que escapou e é morto com 2 tiros
Os dois estão separados há dois meses e tem dois filhos juntos, os quais estavam morando com a mãe. TRAGÉDIA NA FAMILIA
Motorista da Energisa mata ex-mulher ontem e hoje comete suicídio
COVID-19 NO FUTEBOL
Flamengo tem 6 casos de covid-19, mas Conmebol não aceita adiar jogo da Libertadores
Tumulos quadruplicaram em maior parte dos cemitérios BRASIL - 136.895 MORTES
Saúde atualiza números da pandemia: Brasil tem 363 novos óbitos
Caixa com cenouras de boa qualidade 100 DESPERDÍCIOS
Governo cria Rede de Bancos de Alimentos para combater desperdício
Ainda de acordo com a atualização, 567.369 pessoas estão em acompanhamento e outras 3.753.082 se recuperaram. PANDEMIA
Covid-19: Brasil acumula 4,4 milhões de casos e 134,9 mil mortes
Os beneficiários nascidos em janeiro  3,9 milhões de pessoas  poderão sacar AUXILIO EMERGENCIAL
Caixa abre 770 agências amanhã das 8h às 12h