Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sábado, 16 de janeiro de 2021
Busca
Brasil

Quando menor, estuprador da UFMS atacava também crianças e idosas

17 Abr 2011 - 22h02Por Midia Max

Robson Vanderlan, 29 anos, que está sendo tratado como “o estuprador da UFMS” – depois de violentar sexualmente uma acadêmica no campus da universidade no dia 14 de abril- revelou ao Midiamax que começou a praticar este tipo de crime e também roubos quando ainda era menor de idade, em Bragança, interior de São Paulo.

Depois disto se mudou para Três Lagoas e Campo Grande onde continuou seus atos criminosos.

Sem precisar a idade, Robson disse que ainda menor cometeu inúmeros estupros em Bragança, mas por nenhum deles foi preso e, consequentemente, punido. Ao contrário do que fazia em Mato Grosso do Sul onde dava preferência para mulheres jovens e bonitas, no outro Estado violentou senhoras. “Foi uma porção delas”, diz sem se recordar a quantidade.

Quando se mudou para Três Lagoas, Robson confessa queaos 16 anos participou de um ato de violência contra uma criança que, segundo ele, tinha 10 anos. Outro menor e um menor amarraram a menina na cama de Robson e cometera a violência, mas ele nega ter feito qualquer tipo de penetração. Segundo o que a reportagem apurou, na época do crime o trio queimou a criança com bitucas de cigarro.

Depois que mudou para Campo Grande, em 1999, Robson disse que depois de algum tempo – sem precisar data - voltou a cometer roubos e na maioria de suas ações aproveitava para estuprar as vítmas, todas mulheres, segundo seu relato.

Mas neste período não estava desempregado, já que trabalhava vendendo jornal em sinaleiros da Capital.

Questionado se acredita ser uma pessoa normal, Robson disse que sim, mas que não acha normal o tipo de crime sexual que cometeu. “Faz se quiser”, resume. Perguntado se estava arrependido, o autor confesso disse que sim e que pede "desculpas às vítimas”.

Diligências

Na tarde desta quinta-feira Robson Vanderlan foi conduzido por investigadores da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) até os locais (oito pontos)onde possivelmente praticou os estupros contra mulheres em Campo Grande. Tudo baseado em seu depoimento e de vítimas que procuraram a unidade policial depois que viram sua foto estampada na mídia e o reconheceram.

Segundo a delegada titular da Deam, Lúcia Falcão, Robson confessou que em todos os estupros roubou as vítimas. Primeiro ele escolhia aquelas conforme a oportunidade de ação e fuga. Roubava e depois se a vítma o atraia fisicamente ele a despia e cometia a violência, sempre armado com faca ou canivete, como atacoua acadêmica de química da UFMS.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAIU O EDITAL
Com salário de até R$ 23,6 mil, Polícia Federal abre inscrição em concurso no dia 22
DESESPERO EM MANAUS
Médicos e familiares de pacientes descrevem colapso com falta de oxigênio em Manaus; leia relatos
AUXILIO POPULAÇÃO
Caixa libera saque da última parcela do auxílio emergencial a aniversariantes em julho
HORROR NA NOITE
Crianças são encontradas chorando ao lado de corpos de pais assassinados
DOR E DESCASO
Filho é obrigado abrir cova para enterrar próprio pai por não encontrar coveiro em cemitério
SEUS DIREITOS
Trabalhador afastado por Covid-19 tem direito a auxílio-doença do INSS
COM DESCONTOS
Veja as opções de pagamento do IPVA com desconto
CASA PRÓPRIA
Casa Verde e Amarela substitui Minha Casa Minha Vida com opção para renegociar dívidas e menos juros
FINALISTA LIBERTADORES
Santos atropela Boca Jr e terá o Palmeiras numa final Brasileira
TRAGÉDIA NA PONTE
Motorista morre após caminhão cair de ponte