Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sábado, 15 de maio de 2021
Busca
Brasil

Público embala no ritmo latino na primeira noite do Festival

18 Set 2004 - 10h31
O ritmo latino, reverenciando Mercedes Sosa, Violeta Parra e Pablo Neruda, abriu a programação de shows do Festival da América do Sul em Corumbá, na noite de ontem (17), com a presença no pavilhão armado no porto-geral da cidade da chilena Isabel Parra e os argentinos Celeste Carballo e Facundo Ramirez. Foram quase três horas de espetáculo, com a tenda parcialmente lotada nas arquibancadas. As cadeiras, no centro, foram todas ocupadas.

O governador Zeca do PT assistiu as duas apresentações, da tribuna armada ao fundo do palco, ao lado do senador Delcídio do Amaral, secretários e convidados. Ele disse, ao final, que depois de visitar as exposições de artistas de vários países latinos, no Instituto Luiz de Albuquerque (ILA) e assistir aos shows, não ter mais dúvidas que o festival refletirá o momento de euforia por que passa a América Latina e “seu desejo incontido de unidade, cuja construção passa pela integração física”.

Zeca deixou o pavilhão às 23h50 e retornou a Praça Generoso Ponce, na parte alta da cidade, onde se apresentaram os músicos brasileiros Jica y Turcão, seguido do Ballet Folclórico Luque Poty (Paraguai). Durante rápida caminhada pelo local, entre visitas aos stands de artesanato dos países presentes ao festival e fotografias com populares, o governador conheceu um torcedor botafoguense, como ele, Adão Correia, funcionário público. “Nosso time tem estrela”, brincou.

Bossa nova - A chilena Isabel Parra subiu ao palco com a filha Tita e o neto Antar para um show acústico, interpretando canções próprias e da mãe, Violeta Parra, uma das homenageadas pelo festival, assim como Mercedes Sosa, que cancelou sua vinda a Corumbá por problemas de saúde. Ao começar o show, Isabel pediu mais luz no palco. “Nós cantamos em família”, disse. Suas canções emocionaram o público, cantando algumas vezes em dueto com a filha.

Os acordes do trio chileno lembraram vagamente, em algumas canções, a bossa nova brasileira, ritmo que ficou patente durante o show dos argentinos Celeste Carballo e Facundo Ramirez e a banda da contemporânea Mercedes Sosa. Ao final do show deste grupo, a chilena Isabel Parra voltou ao palco para, junto com Celeste, cantar as antológicas Volver a Los 17 e Gracias a La Vida. Foi um dos momentos mágicos da primeira noite do Festival América do Sul.
 
 
Agência Popular

Deixe seu Comentário

Leia Também

SONHO INTERROMPIDO
Agente educacional morta em ataque a creche em Saudades queria fazer intercâmbio no Canadá
PESQUISA PRESIDENCIAL
Datafolha mostra Lula disparado na corrida eleitoral
NOVA INFECÇÃO
Covid-19: após 3 semanas de queda, casos de coronavírus avançam no Brasil puxados por 9 Estados
TRISTEZA NA FAMILIA
Seis pessoas da mesma familia morrem vítimas da Covid-19
NOVAS REGRAS
WhatsApp: o que acontece se você não aceitar novas regras do aplicativo até 15 de maio
FAMOSIDADES
Pai da campeã do 'BBB 21' Juliette vive em casinha de barro na Paraíba
CACHAÇA
Jovem enfia garrafa no ânus durante bebedeira e vai parar no hospital
ESCALADA DA VIOLÊNCIA
Operação mais letal da história deixa 25 mortos no Jacarezinho
VITIMA DO MASSACRE
'Fiquei vendo costurarem os ferimentos. Chorava, orava e agradecia por ele estar vivo, diz mãe
FRIO - FÁTIMA DO SUL NOVA ONDA DE FRIO
Frio de origem polar começa a ser sentido novamente e terá geada