Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 13 de junho de 2021
Busca
Brasil

Projetos querem amenizar problemas ferroviários de MS

21 Nov 2009 - 10h15Por Conjuntura

O diretor-geral da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), Bernardo Figueiredo, anunciou, nesta sexta-feira (20), durante encontro empresarial realizado pela Fiems, projetos para amenizar os problemas de infra-estrutura ferroviária de Mato Grosso do Sul.

Segundo Bernardo Figueiredo, a recuperação da malha ferroviária existente requer investimentos da ordem de R$ 450 milhões, enquanto a construção de uma nova malha necessita de recursos de aproximadamente R$ 4 bilhões, totalizando um investimento total de R$ 4,4 bilhões.

“Fisicamente, a execução desses projetos poderia demandar prazo máximo de quatro anos, mas ela depende de recursos e parceiros.

Por isso, temos de montar a equação financeira para sustentar esse investimento e um instrumento nesse sentido seria a Parceria Público e Privada”, explicou.

Ele acrescenta que a alternativa mais viável é abrir os projetos para que terceiros realizem esses investimentos e possam explorar esse adicional de capacidade da malha ferroviária para recuperar os recursos aplicados.

Os projetos

A construção da nova malha ferroviária para o Estado inclui dois projetos e o primeiro é a extensão da Norte-Sul, que hoje liga Belém (PA) a Santa Fé do Sul (SP), até Panorama (SP) e, de lá, até Porto Murtinho (MS), criando um sistema ferroviário novo e moderno de bitola larga, que atravessaria Mato Grosso do Sul até o Rio Paraguai.

O segundo projeto é a conexão de Mato Grosso do Sul à Ferroeste, no Paraná, criando um acesso ao Porto de Paranguá (PR).

Segundo Bernardo Figueiredo, com a execução desses dois projetos, Mato Grosso do Sul passaria a contar com a malha atual recuperada, uma ferrovia nova de bitola larga e que ligaria o Estado aos portos de Santos (SP) e do Rio de Janeiro (RJ), integrando-se à malha Norte-Sul.

Além disso, completou, ainda teria uma terceira opção de bitola estreita, ligando a região de Maracaju e Dourados ao Porto de Paranaguá.

Hoje, conforme dados da ANTT, a malha ferroviária nacional tem 28,8 mil quilômetros  23,9 mil quilômetros de bitola estreita e 5,4 mil quilômetros de bitola larga , mas apenas 10,9 mil quilômetros são realmente explorados.

Além disso, estão em andamento a construção de 5,6 mil quilômetros de ferrovia com bitola larga e em estudo outros 3,6 mil quilômetros, dos quais 500 quilômetros são entre Maracaju (MS) e Cascavel (PR) e 750 quilômetros de Porto Murtinho (MS) a Panorama (SP), enquanto a estudar tem mais 2,8 mil quilômetros.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CÓDIGO DE TRÂNSITO
Mudanças no código de trânsito brasileiro e suas implicações para motoristas
ESPORTE PELO MUNDO
Em fase artilheira no Cazaquistão, lateral Bryan, ex-Cruzeiro, valoriza presença e relacionamento
FOTO: Só Notícias / Luan Cordeiro / ASSESSORIA COPA AMÉRICA 2021 - NO BRASIL
COPA AMÉRICA: Confira as 06 Seleções que jogarão na Arena Pantanal
biden vacinas capa 696x487 SOLIDARIEDADE
Biden anuncia que vai mandar vacinas para o Brasil e outros países
FENÔMENO RARO
Junho tem Eclipse Solar, Lua de Morango e dia mais longo do ano
PROTESTOS PELO BRASIL
29M pelo fora Bolsonaro chegou a mais de 200 cidades e ganhou as redes sociais
ATENTADO AO PUDOR
Prostitutas exibem partes íntimas no meio da rua, moradores reclamam, Vídeos
NA BRONCA
Bolsonaro aciona STF contra decretos estaduais que impõem restrições para conter Covid-19
BARBÁRIE
Homem encontra partes do corpo do filho em rio
FENÔMENO RARO
Super Lua de Sangue e Eclipse total acontece nesta quarta