Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sexta, 14 de maio de 2021
Busca
Brasil

Projeto sobre jornalismo pode voltar ao Executivo

12 Ago 2004 - 08h27
O Conselho Federal de Jornalismo não encontrou apoio na Câmara dos Deputados. O líder do PFL, José Carlos Aleluia (BA), apresentou questão de ordem para que o presidente da Câmara, João Paulo Cunha (PT-SP), devolva a proposta ao Executivo, por “ser inconstitucional”. João Paulo acolheu a questão de ordem. “Vou apreciá-la com o cuidado que o tema exige.” O regimento interno permite que uma matéria flagrantemente inconstitucional seja devolvida.

Aleluia foi muito duro. “Trata-se de proposição autoritária, pior do que as ações que ocorreram no Estado Novo, mas compatível com o que foi praticado contra os meios de comunicação e à cultura em geral no regime stalinista, da União Soviética, e no regime ditatorial de Hitler, na Alemanha”. Ele avaliou que a proposta de criação do conselho “tem o propósito de amordaçar a imprensa, por intermédio dos sindicatos manipulados pelo governo.

Para o pefelista, a simples existência do projeto é uma ameaça aos meios de comunicação, aos jornalistas e ao Congresso. Ex-ministro das Comunicações, o deputado Miro Teixeira (PPS-RJ) tentou tirar a responsabilidade do governo pelo envio da proposta, mas não teve êxito. Afirmou que o projeto é “inoportuno e inadequado”, mas atribuiu a sua autoria à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj). Foi corrigo por João Paulo: “O projeto é do Executivo”. Miro ainda perguntou: “De quem?” João Paulo respondeu: “É do presidente da República”. Miro se calou.

O deputado José Carlos Nonô (PFL-AL) aproveitou o debate e atacou: “Se o pai é a Fenaj, o Executivo é a mãe do monstrengo”. Para ele, o projeto nada mais é do que a instituição da censura. O artigo primeiro do projeto de lei, por exemplo, diz que compete aos conselhos federal e regionais orientar, disciplinar e fiscalizar o exercício da profissão de jornalista e da atividade de jornalismo, “além de zelar pela fiel observância dos princípios de ética e disciplina da classe em todo o território nacional, bem assim pungnar pelo direito à livre informação plural e pelo aperfeiçoamento do jornalismo”.

Estadão

Deixe seu Comentário

Leia Também

SONHO INTERROMPIDO
Agente educacional morta em ataque a creche em Saudades queria fazer intercâmbio no Canadá
PESQUISA PRESIDENCIAL
Datafolha mostra Lula disparado na corrida eleitoral
NOVA INFECÇÃO
Covid-19: após 3 semanas de queda, casos de coronavírus avançam no Brasil puxados por 9 Estados
TRISTEZA NA FAMILIA
Seis pessoas da mesma familia morrem vítimas da Covid-19
NOVAS REGRAS
WhatsApp: o que acontece se você não aceitar novas regras do aplicativo até 15 de maio
FAMOSIDADES
Pai da campeã do 'BBB 21' Juliette vive em casinha de barro na Paraíba
CACHAÇA
Jovem enfia garrafa no ânus durante bebedeira e vai parar no hospital
ESCALADA DA VIOLÊNCIA
Operação mais letal da história deixa 25 mortos no Jacarezinho
VITIMA DO MASSACRE
'Fiquei vendo costurarem os ferimentos. Chorava, orava e agradecia por ele estar vivo, diz mãe
FRIO - FÁTIMA DO SUL NOVA ONDA DE FRIO
Frio de origem polar começa a ser sentido novamente e terá geada