Menu
SADER_FULL
quarta, 12 de maio de 2021
Busca
Brasil

Projeto quer autorizar Polícia Civil a registrar armas

16 Ago 2004 - 10h02
A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado está estudando um projeto (PL 3941/04) que altera o Estatuto do Desarmamento publicado no final do ano passado. A intenção da proposta, do deputado Nelson Bornier (PMDB-RJ), é permitir que o certificado de registro de arma seja expedido também pela Polícia Civil. Atualmente, o Estatuto limita essa competência à Polícia Federal. A sugestão de Bornier é que a Polícia Federal emita o porte federal de arma e o porte estadual seja de competência da Polícia Civil respectiva.
O parlamentar considera essa restrição uma "injustiça" contra os integrantes das polícias estaduais. "O policial estadual é a linha de frente do combate à criminalidade, mas, no entanto, está proibido de registrar suas armas de calibre restrito. Por que o policial federal pode fazê-lo e o estadual não pode?", questiona Bornier.

Destruição x doação
"Outra iniqüidade da legislação é a determinação de que as armas apreendidas sejam destruídas", reclama o deputado. Hoje o Estatuto veda que essas armas sejam cedidas para qualquer pessoa ou instituição. O projeto permite que as armas apreendidas sejam doadas aos órgãos estaduais e federais de segurança pública. "É escandaloso impedir que armas modernas sejam transferidas para o patrimônio das instituições policiais tão carentes de recursos. Acontece então o quadro surrealista em que armas de qualidade são destruídas, ao passo que o Governo compra armas de qualidade inferior para as polícias, na medida de seus orçamentos limitados."
A proposição também altera o Estatuto quanto à aquisição de armas de fogo de uso restrito. Hoje apenas os comandos militares não estão sujeitos à essa restrição. O texto de Bornier exclui também as polícias federal e estaduais.

Tramitação
A matéria está sendo relatada pelo deputado Josias Quintal (PMDB-RJ) e após ser votada na Comissão de Segurança, o texto será encaminhado para análise da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania. Como tramita em caráter conclusivo, o projeto poderá seguir para o Senado Federal sem passar pelo Plenário da Câmara.
 
 
 
Agência Câmara

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRISTEZA NA FAMILIA
Seis pessoas da mesma familia morrem vítimas da Covid-19
NOVAS REGRAS
WhatsApp: o que acontece se você não aceitar novas regras do aplicativo até 15 de maio
FAMOSIDADES
Pai da campeã do 'BBB 21' Juliette vive em casinha de barro na Paraíba
CACHAÇA
Jovem enfia garrafa no ânus durante bebedeira e vai parar no hospital
ESCALADA DA VIOLÊNCIA
Operação mais letal da história deixa 25 mortos no Jacarezinho
VITIMA DO MASSACRE
'Fiquei vendo costurarem os ferimentos. Chorava, orava e agradecia por ele estar vivo, diz mãe
FRIO - FÁTIMA DO SUL NOVA ONDA DE FRIO
Frio de origem polar começa a ser sentido novamente e terá geada
TERROR NA CRECHE
Sob forte emoção moradores de Saudades realizam velório coletivo das vítimas do ataque à creche
CHEGANDO FORTE
Frio chega com força e provoca geada no Sul
TERROR EM CRECHE
Jovem invade escola e mata três crianças e duas funcionárias