Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quinta, 27 de janeiro de 2022
Busca
Brasil

Projeto permite interromper o prolongamento artificial da vida

6 Jan 2010 - 14h33Por Jornal do Senado

 
O direito de um doente em fase terminal ou enfrentando moléstia irreversível decidir sobre a suspensão dos procedimentos médicos que o mantém vivo artificialmente é objeto de projeto que Gerson Camata (PMDB-ES) deseja aprovar este ano e que aguarda votação nas comissões de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) e de Assuntos Sociais (CAS).

Segundo a proposta (PLS 524/09) que regulamenta a ortotanásia, havendo manifestação favorável do doente, de seus familiares ou de seu representante legal, é permitida a limitação ou a suspensão de procedimentos desproporcionais ou extraordinários destinados a prolongar artificialmente sua vida.

Serão obrigatoriamente mantidos os cuidados básicos necessários à manutenção da vida e da dignidade do paciente.

O texto assegura a esse doente ser informado sobre as possibilidades terapêuticas, paliativas ou mitigadoras do sofrimento, adequadas e proporcionais à sua situação. Se, em decorrência de doença mental ou alteração do estado de consciência, ele for incapaz de compreender a informação, essa deverá ser dada a seus familiares ou representante legal. É assegurado ainda o direito a uma segunda opinião médica.

Outra circunstância prevista é que, impossibilitada a manifestação de vontade do paciente e tendo esseA, quando lúcido, se pronunciado contrariamente à suspensão desse tipo de procedimento, será respeitada a vontade anteriormente manifestada.

Camata diz que frequentemente os procedimentos terapêuticos aplicados em doenças incuráveis são infrutíferos.

Sofrimento
O que o projeto estabelece, diz o senador, não é a eutanásia – proibida pelas leis brasileiras e condenada por diversos segmentos religiosos –, na qual a morte do paciente é provocada, mesmo que ele sofra de doença incurável, e sim a ortotanásia, que apenas evita o adiamento, por via artificial, do processo natural de morte. O conceito de ortotanásia, explica Camata, tem aceitação entre os diferentes credos religiosos.

Segundo o senador, o projeto permite solicitar a limitação ou a suspensão de procedimentos terapêuticos "desnecessários, desumanos, infrutíferos e dispendiosos" destinados exclusivamente a protelar a ocorrência de um evento natural, que é a morte. E, no caso, "a morte inevitável e iminente que sobrevém à doença incurável, progressiva e em fase terminal".

A medida proposta tem a finalidade de evitar que o sofrimento do paciente nessa situação e a angústia dos seus familiares e amigos se estenda por tempo indefinido – diz o senador.

Leia Também

SUBINDO
Brasil em 24 horas, foram registradas 487 mortes por Covid 19 e 183.722 novos casos registrados
joao 5 39 examinais as escrituras 2_3 LIÇÕES DA BIBLIA
Quanto Falta para o Fim do Mundo?
TRAGÉDIA NA IGREJA
Confusão em culto termina com pastor e jovem mortos, 4 baleados e casa incendiada
SOB INVESTIGAÇÃO
Lutador é executado com 12 tiros, sua esposa esta grávida
SEU DINHEIRO
Qualquer cidadão pode consultar se tem valores a receber de instituições financeiras; saiba como
COVID NO BRASIL
Covid-19: Brasil registra 259 mortes e 83,3 mil novos casos
ESTUPRO DE VUNERALVEL
Mãe vê partes íntimas vermelha, pergunta e filha de 2 anos aponta paro o tio
ACASALAMENTO DE COBRAS
Casal sucuri acasalando em rio assusta e impressiona turistas; veja vídeo
MEIO AMBIENTE
O número médio anual de relâmpagos do país aumentará para 100 milhões
COVID NO BRASIL
Em 24 horas, Brasil registrou mais 135.080 casos e 296 mortes por covid-19