Menu
SADER_FULL
sexta, 16 de abril de 2021
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
Brasil

Projeto do BB alfabetiza 150 pessoas em parceria com Estado

8 Set 2004 - 13h31
O governo do Estado e a Fundação Banco do Brasil realizam às 14h30, na sede dos Programas de Inclusão Social, rua 7 de Setembro, 174, em Campo Grande, solenidade de formatura de novas turmas do projeto de alfabetização BB-Educar.

Os certificados serão entregues a 150 alunos de famílias beneficiadas pelos programas de inclusão social de nove bairros de Campo Grande. O projeto é uma parceria do governo do Estado com a Fundação Banco do Brasil, que possibilita acesso a mais oportunidades de alfabetização.

Desde 1992, o Banco do Brasil vem disponibilizando às comunidades, em todo o Brasil, o BB-Educar, Programa de Alfabetização de Jovens e Adultos, desenvolvido por funcionários do banco e voluntários das comunidades, como parte de seus investimentos sociais para promoção da cidadania. O banco patrocina o projeto, oferecendo um curso de 40 horas para os alfabetizadores e kit com material didático: camisetas, cadernos, mochilas, lápis e borracha.

A parceria com os programas de inclusão social existe desde 1999 e as aulas duram de seis a oito meses, de acordo com o desempenho das turmas. Já foram alfabetizadas aproximadamente 500 pessoas através dessa ação.

Os alfabetizadores são todos agentes de acompanhamento familiar dos Programas de Inclusão Social da Setass (Secretaria de Estado de Trabalho, Assistência Social e Economia Solidária) que trabalham voluntariamente junto à comunidade levantando dados sobre o analfabetismo e estimulando as pessoas a participarem do projeto, bem como fazendo o mapeamento da estrutura do bairro, para identificar lugares adequados para realização das aulas. Normalmente os alunos reúnem-se em associações comunitárias, igrejas, capelas e escolas.

A participação em projetos de alfabetização é um dos critérios para permanência dos beneficiários nos programas de inclusão social que, além dos benefícios, prevêem ações para que as famílias se emancipem e não necessitem mais do auxílio.

Os programas têm a meta de promover o desenvolvimento das famílias como um todo, combatendo a desnutrição e reduzindo a mortalidade materno-infantil, estimulando o desenvolvimento da agricultura familiar, ampliando a produção de alimentos e geração de renda, promovendo a organização comunitária, orientando o desenvolvimento para a geração de empregos e distribuição de renda, promovendo a integração entre ações governamentais e da sociedade civil na erradicação das causas da desnutrição, da fome e da miséria.

Além de manter a parceria com o BB-Educar, o governo alfabetiza famílias dos programas sociais através do Mova-MS, da Secretaria de Estado de Educação.
 
Agência Popular

Deixe seu Comentário

Leia Também

VIDEO CAPIVARA NA IGREJA
Capivara invade igreja: 'acho que ela veio rezar conosco', brinca Padre
BEBEDEIRA
Idoso conhece mulher, leva para casa é atacado a facadas
ROUBO DE CARGA
Três mil pessoas roubam carga de carne após carreta tombar e provocam novo acidente
AUXILIO POPULAÇÃO
Caixa credita 1ª parcela do Auxílio Emergencial nesta quinta para nascidos em maio
mulher carro beltrao 1 VIDEO
Mulher cai e fica ferida após ser flagrada em cima de carro em movimento
DESESPERADOR
Covid-19: Brasil registra 3.808 mortes em 24 horas
EXEMPLAR
Cidade modelo que vacinou 64% da população vê casos de covid-19 caírem 78%.
NOVO CÓDIGO DE TRANSITO
Novo Código de Trânsito entra em vigor na segunda-feira; veja mudanças
LOCKDOWN É A SOLUÇÃO?
Araraquara X Bauru: dois retratos do Brasil com e sem lockdown contra a covid-19
AGRICULTURA SUSTENTAVEL NO MUNDO
II Congresso Mundial de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta deve receber 1 mil inscrições