Menu
SADER_FULL
sábado, 6 de junho de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Professores recuam e decidem analisar nova proposta

13 Mar 2007 - 07h30
Os professores da rede estadual de ensino decidiram realizar novas assembléias hoje e amanhã para analisar a proposta feita ontem à noite pelo governador André Puccinelli (PMDB) de pagar o reajuste de 20% da regência de classe a partir de maio e não mais em julho como havia sido apresentado anteriormente. A categoria realizou nova reunião no fim da noite de ontem na sede da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) e decidiram avaliar se mantém a paralisação prevista para amanhã.

Conforme o presidente da Federação, Jaime Teixeira, hoje serão realizadas as assembléias no interior do Estado, onde os 69 municípios que possuem sindicatos devem votar. “Não podemos declarar que a paralisação de quinta-feira está suspensa, mas vamos ouvir toda a categoria sobre esta nova proposta feita pelo governador”, afirma nesta manhã ao Midiamax.

Amanhã, a assembléia ocorre em Campo Grande e será analisada a proposta de pagamento, bem como a posição dos profissionais do interior. De acordo com a proposta, os professores devem receber os valores atrasados de fevereiro a abril em parcelas pagas a partir de outubro, enquanto o reajuste de 11,1% no salário passaria a ser pago a partir de junho.

André afirmou ontem na reunião que o governo está aberto a contraproposta “se não houver partidarização, se não houver politização, se tiverem consciência”, mas deixou claro também que o argumento do governo é que não há recursos suficientes para garantir o reajuste agora. Ele esclareceu que o governo não pôde aceitar a exigência da categoria de pagar em março e disse ainda que somente a partir de maio poderia reavaliar. “Se propusessem maio, ou junho, ou julho, iríamos estudar”, revelou.

Alguns professores confidenciaram que André havia feito um compromisso de, caso a categoria obtiver a liminar, não recorrer ao STF (Supremo Tribunal Federal). Entretanto, André insinuou que não havia compromisso, já que pelo desafio, se o TJ (Tribunal de Justiça) não concedesse a liminar, a categoria teria de acatar a proposta de receber o reajuste a partir de julho, condição não aceita durante a negociação. “Eles queriam unilateralidade do desafio”, disse o governador.
 
 
 
 
Mídia Max

Deixe seu Comentário

Leia Também

OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Concurso federal com salário de até R$ 6 mil encerra inscrições nesta sexta-feira
100 ANUNCIOS
Covid-19: Bolsonaro ordenou atrasar boletins para não passar em telejornais
AUXILIO EMERGENCIAL
Veja se o seu CPF foi usado e como denunciar a fraude
3º EM NÚMERO DE VÍTIMAS
Com recordes seguidos, Brasil passa dos 34 mil mortos por coronavirus
COVID-19
Micro e pequenas empresas terão acesso a crédito facilitado
VÍDEO - CAPIVARA BOA DE MERGULHO
Capivara boa de mergulho é flagrada em rio de MS, assista
CASO DE POLÍCIA
Patroa é presa sob suspeita de homicídio culposo após filho de empregada cair do 9º andar
LUTA PELA VIDA
Cantora gospel que morreu por coronavírus, fez vaquinha para pagar tratamento
ELEIÇÕES 2020
Vai ter eleição, TSE autoriza convenções partidárias virtuais para eleição deste ano
BOA NOTICIA
Auxílio emergencial deve ser estendido em mais duas parcelas de R$ 300