Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 25 de outubro de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Professores recuam e decidem analisar nova proposta

13 Mar 2007 - 07h30
Os professores da rede estadual de ensino decidiram realizar novas assembléias hoje e amanhã para analisar a proposta feita ontem à noite pelo governador André Puccinelli (PMDB) de pagar o reajuste de 20% da regência de classe a partir de maio e não mais em julho como havia sido apresentado anteriormente. A categoria realizou nova reunião no fim da noite de ontem na sede da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) e decidiram avaliar se mantém a paralisação prevista para amanhã.

Conforme o presidente da Federação, Jaime Teixeira, hoje serão realizadas as assembléias no interior do Estado, onde os 69 municípios que possuem sindicatos devem votar. “Não podemos declarar que a paralisação de quinta-feira está suspensa, mas vamos ouvir toda a categoria sobre esta nova proposta feita pelo governador”, afirma nesta manhã ao Midiamax.

Amanhã, a assembléia ocorre em Campo Grande e será analisada a proposta de pagamento, bem como a posição dos profissionais do interior. De acordo com a proposta, os professores devem receber os valores atrasados de fevereiro a abril em parcelas pagas a partir de outubro, enquanto o reajuste de 11,1% no salário passaria a ser pago a partir de junho.

André afirmou ontem na reunião que o governo está aberto a contraproposta “se não houver partidarização, se não houver politização, se tiverem consciência”, mas deixou claro também que o argumento do governo é que não há recursos suficientes para garantir o reajuste agora. Ele esclareceu que o governo não pôde aceitar a exigência da categoria de pagar em março e disse ainda que somente a partir de maio poderia reavaliar. “Se propusessem maio, ou junho, ou julho, iríamos estudar”, revelou.

Alguns professores confidenciaram que André havia feito um compromisso de, caso a categoria obtiver a liminar, não recorrer ao STF (Supremo Tribunal Federal). Entretanto, André insinuou que não havia compromisso, já que pelo desafio, se o TJ (Tribunal de Justiça) não concedesse a liminar, a categoria teria de acatar a proposta de receber o reajuste a partir de julho, condição não aceita durante a negociação. “Eles queriam unilateralidade do desafio”, disse o governador.
 
 
 
 
Mídia Max

Deixe seu Comentário

Leia Também

SIM A VIDA
Brasil se une a Egito, Indonésia, Uganda, Hungria e EUA em declaração contra o aborto
Invasão em residência acaba morador morto por tiro acidental TRAGÉDIA NA FAMILIA
Homem mata o próprio irmão ao atirar em invasor de residência
GUERRA DA VACINA
Bolsonaro diz que não comprará vacina chinesa, mesmo se aprovada pela Anvisa
Motorista da carreta diz que ainda tentou desviar, mas não conseguiu DOENÇA DO SÉCULO
Menor pega carro escondido, joga contra carreta e morre na hora
BRASIL - 155.403 MORTES
Covid-19: Brasil tem 24.818 novos casos em 24 horas
AJUDA
Caixa Econômica paga auxílio emergencial para 5,2 milhões de beneficiários
CORONAVIRUS
Morre voluntário brasileiro que participava de testes da vacina de Oxford
MORTE SUBITA
Idoso morre em voo de Cuiabá para SP; avião faz pouso de emergência
BRASIL - 154.176 MORTES
Covid-19: Brasil tem mais 271 óbitos e 15.383 novos casos em 24h
TRAGÉDIA NA CIDADE
Acidente entre trem e e micro-ônibus deixa uma mulher morta e feridos