Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 20 de janeiro de 2021
Busca
Brasil

Professora do Rio pega 12 anos de prisão por abusar de aluna

27 Jan 2011 - 10h56Por Redação Terra

A professora de Matemática Cristiane Teixeira Maciel Barreiras, 33 anos, foi condenada na quarta-feira a 12 anos de prisão por estupro de vulnerável pelo juiz Alberto Salomão Júnior, da 2ª Vara Criminal de Bangu, na zona oeste do Rio de Janeiro. A educadora é acusada de abusar de uma aluna de 13 anos. Segundo o Tribunal de Justiça, ainda cabe recurso na decisão.

Ao contrário do que solicitava a defesa da professora, pela decisão ela não poderá responder o processo em liberdade. Cristiane está presa no presídio de Bangu 8, zona oeste do Rio, desde outubro do ano passado.

A polícia prendeu a professora na casa da mãe, em Realengo, na zona oeste do Rio, no dia 27 de outubro. Em depoimento, ela afirmou manter relações "sexuais e amorosas" com a menina e disse que chegou a pedir à mãe da menor para namorá-la. A educadora já havia sido transferida para outra instituição de ensino depois que a direção da escola recebeu denúncias do caso.
 

Deixe seu Comentário

Leia Também

SEU BOLSO
Litro da gasolina sobe R$ 0,15 nas refinarias da Petrobras
ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Na calada da noite, namorado da avó estupra criança de 12 anos e é espancado por vizinhos
CONCURSO PÚBLICO
Concurso da Aeronáutica somam com as 21 mil vagas em outros concursos que a semana oferece
DEU RUIM
Jovem é atingido por raio enquanto usava celular no banheiro
PROVA DO ENEM
Confira as medidas de segurança durante a prova do Enem
SAIU O EDITAL
Com salário de até R$ 23,6 mil, Polícia Federal abre inscrição em concurso no dia 22
DESESPERO EM MANAUS
Médicos e familiares de pacientes descrevem colapso com falta de oxigênio em Manaus; leia relatos
AUXILIO POPULAÇÃO
Caixa libera saque da última parcela do auxílio emergencial a aniversariantes em julho
HORROR NA NOITE
Crianças são encontradas chorando ao lado de corpos de pais assassinados
DOR E DESCASO
Filho é obrigado abrir cova para enterrar próprio pai por não encontrar coveiro em cemitério