Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 27 de outubro de 2020
SADER_FULL
Busca
ZANZI
Brasil

Produtores fazem manifestação contra taxa de cartório

27 Ago 2007 - 15h16
Os produtores rurais estarão amanhã (28), na Assembléia Legislativa, se manifestando contra o projeto de Lei complementar nº. 004/2007. Se for aprovada, a nova Lei cria uma taxa extra de 5% nos serviços dos cartórios para financiar a Defensoria Pública. Conforme o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de MS (FAMASUL), Ademar Silva Junior, a nova regra aumenta os custos de produção dos produtores rurais, que dependem dos serviços cartorários para obter financiamento nos bancos.

Na semana passada o presidente da entidade entrou em contato com alguns deputados estaduais, na tentativa de barrar o projeto e impedir que ele seja aprovado. “O produtor rural já tem altas taxas tributárias, sem contar com o custo de produção em déficit há cinco anos. Não é justo que essa conta seja paga mais uma vez por nós produtores”, apontou o presidente.

A proposta de aumentar o valor dos serviços cartorários de 13% para 16% é para criar um repasse para a Defensoria Pública, que teve seu duodécimo reduzido de 2,5% para 1,5%. “Não questiono a importância que a Defensoria Pública tem, mas não é justo que a conta que deveria ser paga pelo governo seja repassada aos produtores ou aos cidadãos”, reprova o presidente da FAMASUL.

A FAMASUL encaminhou na semana passada um ofício a Frente Parlamentar Estadual do Agronegócio expondo as dificuldades que a nova medida deve trazer e solicitam que a medida não seja aprovada. “Diante da crise em que se encontra o setor produtivo deste país, clamamos por medidas impeditivas que revertam à possibilidade de que esta taxa seja mais um fator para a perda de competitividade do produtor rural. Lembramos aos Ilustres Deputados, legítimos representantes da Bancada do Agronegócio, da impossibilidade da imposição desta taxa, que vem para onerar ainda mais os custos dos emolumentos cartorários para o produtor que já arca com tantos outros impostos e taxas”, colocou Ademar.

A preocupação do presidente é que a aprovação dessa Lei Complementar crie pretextos, precedentes para que outros órgãos do Governo venham a apresentar projetos usando o mesmo critério, criando taxas de natureza semelhantes.
 
 
MS Notícias

Deixe seu Comentário

Leia Também

BARBÁRIE
Marido mata mulher a facadas dentro de casa durante almoço de domingo
CAPOTAMENTO
Carro capota várias vezes ao fazer curva na MT-412 e mata fotógrafo
BRASIL - 157.134 MORTES
Brasil acumula 5,3 milhões de casos e 157 mil mortes por covid-19
AJUDA FINANCEIRA
Caixa paga 2ª parcela de R$ 300 da extensão do auxílio emergencial
SIM A VIDA
Brasil se une a Egito, Indonésia, Uganda, Hungria e EUA em declaração contra o aborto
Invasão em residência acaba morador morto por tiro acidental TRAGÉDIA NA FAMILIA
Homem mata o próprio irmão ao atirar em invasor de residência
GUERRA DA VACINA
Bolsonaro diz que não comprará vacina chinesa, mesmo se aprovada pela Anvisa
Motorista da carreta diz que ainda tentou desviar, mas não conseguiu DOENÇA DO SÉCULO
Menor pega carro escondido, joga contra carreta e morre na hora
BRASIL - 155.403 MORTES
Covid-19: Brasil tem 24.818 novos casos em 24 horas
AJUDA
Caixa Econômica paga auxílio emergencial para 5,2 milhões de beneficiários