Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 28 de maio de 2024
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
Busca
Brasil

Procuradoria quer suspender contratos de franquia dos Correios

19 Jan 2011 - 16h58Por Folha Online

O Ministério Público Federal no Distrito Federal quer suspender os contratos de terceirização de serviço postal dos Correios. Para os procuradores, a Medida Provisória editada pelo governo que prorroga os contratos até junho é ilegal, porque o governo já tinha um plano para os serviços postais e não haveria urgência na MP.

A ação do Ministério é mais um capítulo da batalha judicial que os procuradores travam contra os Correios, que receberam o primeiro alerta para fazer licitação há mais de 15 anos e até hoje vêm adiando por meio de medidas provisórias.

O argumento para a prorrogação dos contratos é que a suspensão imediata poderia causar um apagão postal. A última medida provisória foi editada em outubro do ano passado, às vésperas da eleição.

Na ação, a procuradoria pede aos Correios que elabore um plano emergencial para prestar os serviços postais diretamente, enquanto a nova licitação não sai do papel.

Segundo os procuradores, dados dos Correios confirmam que não há risco de colapso na prestação de serviços postais com a interrupção dos contratos com as agências franqueadas.

Em ofício encaminhado ao Ministério Público Federal do DF, os Correios afirmam que a atuação das franqueadas abrange apenas uma parcela dos serviços prestados pela empresa; a maior parte já é executada diretamente. De acordo com os procuradores, as franqueadas participam de apenas duas das cinco operações necessárias para o processamento e entrega de objetos postais.

Nesse ofício, segundo o Ministério Público, os Correios informaram que desde julho do ano passado tinha um plano de contingência para o período de transição entre os atuais e os novos contratos de franquias _ ou seja, não haveria urgência para o governo editar uma medida provisória.

"O Ministério Público Federal do Distrito Federal entende que não há razão para a manutenção de contratos ilegais, firmados sem licitação e reiteradamente prorrogados. Por isso, pede à Justiça que determine aos Correios o início imediato das providências necessárias à execução do plano de contingência e suspenda os atuais contratos em 90 dias, contados a partir do cumprimento da medida anterior [novembro]".

O Ministério Público Federal do DF também pede que a União e os Correios sejam proibidos de prorrogar os contratos sem licitação e que seja fixada multa de R$ 10 mil em caso de descumprimento da decisão judicial.

Participe do nosso canal no WhatsApp

Clique no botão abaixo para se juntar ao nosso novo canal do WhatsApp e ficar por dentro das últimas notícias.

Participar

Leia Também

Fotos: PMMS/ BMMS BOMBEIROS DE MS NO RS
Com atuação de equipes dos Bombeiros, PM e Defesa Civil, MS continua a apoiar o Rio Grande do Sul
Xadrez MS
Enxadristas representam Mato Grosso do Sul em competição nacional de base em Natal
Saúde Delicada
O Ator Tony Ramos passa por cirurgia de emergência na cabeça para tratar sangramento cerebral no RJ
Ajude o RS
Culturamense registra a devastação de Lageado durante entrega de 21 toneladas de donativos
Fotos: Saul Schramm BOMBEIROS DE MS EM AÇÃO NO PANTANAL
Para combater incêndios florestais no Pantanal, Governo de MS instala bases dos bombeiros em 13 área

Mais Lidas

Evento
Confira as duas galerias de fotos da premiação do Mês das Mães no Mercado Julifran
O caso será investigado pelo SIG / Divulgação/JP NewsCRIME EM MS
Homem é executado a tiros dentro de casa em MS
Dia J e sorteio de prêmios
Saiba quem são as mães sorteadas na Promoção Mês das Mães do Mercado Julifran
FÁTIMA DO SUL EM DESTAQUE
Conhecendo Fátima do Sul com Leandro Santos: Uma viagem cultural pelo Favo de Mel do MS
FATIMASSULENSE EM DESTAQUE
Fatimassulense é pódio em mais um rodeio em touros, agora na Expotac 2024