Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 16 de janeiro de 2022
Busca
Brasil

Procon e Defensoria alertam sobre riscos de superendividamento

16 Mar 2010 - 09h44Por Agência Brasil

A questão do superendividamento do consumidor brasileiro tem preocupado os órgãos de defesa do consumidor e a Defensoria Pública.

Ontem (15),
Dia Mundial do Consumidor, órgãos como o Procon de São Paulo, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-SP), o Ministério Público de São Paulo, o Instituto de Pesos e Medidas (Ipem-SP) e a Defensoria Pública de São Paulo mandaram representantes ao Pátio do Colégio, no centro da capital paulista, para responder a dúvidas de consumidores.

Uma das grandes preocupações do consumidor que passou pelo local foi a questão da negociação de dívidas.

“Talvez esse seja um dos problemas mais recorrentes hoje da sociedade brasileira. Estima-se mais de 40 milhões de pessoas endividadas ou superendividadas, que é aquele cidadão que não tem condições de arcar com todos os seus débitos e que, mesmo vendendo tudo o que tem, não consegue arcar com suas dívidas”, disse em entrevista por telefone Robson Campos, diretor de atendimento do Procon-SP.

Segundo ele, o problema do superendividamento ocorre pela grande oferta de crédito e pela facilidade de consegui-lo no mercado, algumas vezes, sem necessidade de apresentação de garantias ou comprovação de renda.

E o problema pode ser agravado quando o consumidor passa por problemas familiares, tais como morte ou doença na família, fica desempregado ou quando sofre de uma doença que o faz gastar compulsivamente, sem controle.

“O superendividamento é um fenômeno que não é só nacional e pode trazer muitos malefícios para a sociedade, gerando violência moral e física porque desestabiliza as instituições familiares”, afirmou Campos.

“A pessoa não deve gastar mais do que ganha. A pessoa deve programar suas despesas”, explicou Campos.

“A pessoa tem de ter consciência de que não está pegando o dinheiro emprestado. Está fazendo uma dívida, vai ter de devolver e vai ter de pagar muitas vezes com juros.

Por isso, o mais importante é sempre tentar se informar a respeito do valor da prestação e quanto de juros tem embutido naquela prestação”, indicou o defensor público José Luiz de Almeida Simão.

Segundo ele, uma das razões que também explicam o superendividamento é a falta de informação do consumidor. “

A maior dívida é com relação a bancos até por causa dos altos juros que eles cobram. Cheque especial e cartão de crédito são os maiores problemas que os consumidores enfrentam”, afirmou.

Uma das consumidoras que foi até o Pátio do Colégio para tirar dúvidas sobre endividamento foi a manicure Rosangela Aparecida Santos. “O banco deveria informar melhor sobre todas as taxas. Até de poupança.

No ano passado, coloquei um dinheiro e fui usando no cartão. Quando fui ver, estava pagando um absurdo de taxas. E não sabia. E eu tinha colocado justamente na poupança para não pagar taxas”, reclamou ela.

Para os consumidores endividados, a orientação do Procon e da Defensoria Pública é de que ele tente, primeiramente, negociar a sua dívida, verificando e comparando os juros que são praticados no mercado.

“Quem está endividado deve saber qual é a maior dívida que tem, qual dívida cresce mais rápido mês a mês.

Por exemplo, quem tem dívida de cartão de crédito ou cheque especial deve correr atrás e tentar fazer um empréstimo num banco ou financeira (com juros mais baixos) ou com algum amigo ou parente e quitar à vista essa dívida, que têm juros muito altos”, afirmou Simão.

Leia Também

TEMPORAL - VIDEO
Forte chuva derruba árvores e deixa 23 mil pessoas sem energia
COVID NO BRASIL
Em 24 horas, as autoridades de saúde notificaram 175 novos óbitos, totalizando 620.971
TRAGÉDIA
Deslizamento de terra destroi casarão histórico em Ouro Preto MG
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Pai, mãe e três filhas morrem em capotamento de caminhão
BIG BROTHER
Saiba quem foram os ex-BBBs que já morreram; 3 estiveram no BBB9
COVID NO BRASIL
Covid-19: Brasil tem 87,4 mil casos e 133 mortes em 24 horas
HOMICIDIO EM SÉRIES
Bandido que comia olhos, orelhas e bebia sangue de vítimas é preso
COVID NO BRASIL
Brasil tem em 24 horas, mais 70.765 novos casos de covid-19
FAMILIA GRANDE
Mãe dá à luz quíntuplos em maternidade de São Paulo
joao 5 39 examinais as escrituras 2_3 LIÇÕES DA BIBLIA
Por meio Dele Deus fez o Universo