Menu
SADER_FULL
terça, 29 de setembro de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ZANZI
Brasil

Primo de Bruno diz ter sido ameaçado por Macarrão

17 Jul 2010 - 10h09Por R7

Sérgio Rosa Sales, que está preso por ser suspeito de ter participado do desaparecimento de Eliza Samudio, disse ter sido ameaçado de morte se revelasse o crime, registra a transcrição do depoimento prestado nesta quinta-feira (15) à Polícia Civil de Minas Gerais. Sales afirmou que Luiz Henrique Ferreira Romão, mais conhecido como Macarrão, foi quem lhe deu o ultimado.

“O Macarrão me ameaçou dizendo que se eu abrisse o bico, eu já sabia o que ia acontecer comigo”, registra a transcrição do depoimento dado ao delegado Edson Moreira, que comanda a investigação do caso. Na versão de Camelo, como Sales é mais conhecido, Macarrão o ameaçou duas vezes.

Camelo, 22 anos, é primo do goleiro Bruno Fernandes, ex-amante de Eliza e suspeito de elaborar o plano para executar Eliza – ele seria o principal interessado por causa de uma disputa de paternidade. No depoimento, Camelo disse que exceto por ele próprio, Bruno e Dayanne Souza, ex-mulher de Bruno,
todos os suspeitos estiveram com Eliza no suposto momento em que ela morreu. No primeiro depoimento, Camelo disse que Bruno estava no grupo que possivelmente executou a ex-amante do goleiro Bruno.

Camelo e Macarrão têm já brigaram outras vezes. Em um depoimento anterior, dado no dia 8 de julho, Camelo diz que Macarrão o separou de Bruno em 2008. A mãe de Camelo, Angela Maria Rosa Sales,
relatou à reportagem da Rede Record que o filho morou na casa do goleiro por cerca de cinco anos e só saiu de lá por ciúmes de Macarrão, que também foi morar na residência. 

O primo do goleiro contou que a briga definitiva com o goleiro se deu em um quiosque na praia do Recreio, no Rio de Janeiro, quando Macarrão teria insinuado que Camelo furtava dinheiro do atleta. O registro das declarações de Camelo sobre a desavença descreve da seguinte forma: “O declarante [Camelo] estava tomando chopp e Macarrão contou a Bruno o seguinte: “Ó, o Camelo não ta tomando chopp, ele ta trocando a bebida pelo dinheiro. Com isso o Bruno brigou comigo e a partir de então, Bruno me mandou embora do Rio de Janeiro, de volta para Belo Horizonte” (sic). Tanto Bruno quanto Camelo nasceram na periferia de BH.

Três meses depois da briga, Bruno e Macarrão teriam voltado a conversar.

A reportagem do R7 não conseguiu contato com os advogados que representam Macarrão e Camelo. 

Macarrão foi levado a delegacia nesta sexta-feira (16) para prestar seu segundo depoimento, mas, instruído por seu advogado, não
respondeu as questões da polícia.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PANDEMIA
Covid-19: Brasil tem 142 mil óbitos e 4,74 milhões de casos acumulados
+ CONSUMO
Intenção de consumo das famílias volta a crescer após cinco quedas
Motorista registrou a travessia de uma jiboia na avenida Ayrton Senna, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. FORA DO HABITAT
VÍDEO: motorista flagra jiboia cruzando pista de avenida no RJ: 'olha isso'
Só queria que me entendessem sem preconceito! PRECONCEITO
Jovem é expulso de casa ao assumir namoro com mulher trans
Yan e um comparsa renderam mãe e filha na rua CRIMINOSO
Bandido morto pela PM arrancou família de carro e agrediu mulher uma semana antes
O diesel não sofreu reajuste. + ALTA
Gasolina sobe 4% nas refinarias, anuncia Petrobras
O total de mortes causadas por covid-19 chega a 138.108, um acréscimo de 0,6% sobre a soma de segunda Saúde
Covid-19: Brasil tem 33,5 mil novos casos e 836 mortes em 24 horas
HERANÇA PORTUGUESA
A herança portuguesa na vida cotidiana do Brasil
Os beneficiários nascidos em janeiro  3,9 milhões de pessoas  poderão sacar AJUDA FINANCEIRA
Caixa paga nova parcela do auxílio emergencial para 5,6 milhões de pessoas
o maior programa de assistência aos mais pobres no Brasil e talvez um dos maiores do mundo PRESIDENTE NA ONU
Bolsonaro diz que brasileiros receberam mil dólares de auxílio