Menu
SADER_FULL
terça, 13 de abril de 2021
BANNER EMAGRECEDOR VICENTINA
Busca
Brasil

Preso grupo internacional de pedofilia em Fortaleza

26 Out 2004 - 07h57
Onze pessoas foram presas nesta segunda-feira, em Fortaleza, acusadas de pedofilia e tráfico de drogas e de mulheres. O grupo era integrado por dois alemães, quatro italianos e cinco brasileiros. Segundo a Polícia Federal, eles seriam responsáveis por uma página na internet que venderia, na Alemanha, pacotes com mulheres de Fortaleza e de Recife.

Ainda segundo a polícia, os pacotes variavam de dois a três mil euros, cerca de doze mil reais. O alemão Oliver Frank Günther, de 41 anos, é apontado como o cabeça da quadrilha. Ele foi preso pela PF juntamente com a mulher, a brasileira Francisca Cristiane Lima de Oliveira, 32 anos.

Na casa deles, localizada na Aldeota, bairro nobre de Fortaleza, a polícia encontrou maconha e farto material pornográfico, como fotos de mulheres e de crianças - algumas de apenas cinco anos - em posições eróticas. Os nomes dos demais integrantes da quadrilha não foram revelados.

 

 

Estadão

Deixe seu Comentário

Leia Também

EXEMPLAR
Cidade modelo que vacinou 64% da população vê casos de covid-19 caírem 78%.
NOVO CÓDIGO DE TRANSITO
Novo Código de Trânsito entra em vigor na segunda-feira; veja mudanças
LOCKDOWN É A SOLUÇÃO?
Araraquara X Bauru: dois retratos do Brasil com e sem lockdown contra a covid-19
AGRICULTURA SUSTENTAVEL NO MUNDO
II Congresso Mundial de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta deve receber 1 mil inscrições
MORTANDADE
Brasil bate marca de 4 mil mortes por Covid registradas em um dia pela 1ª vez
COPA LIBERTADORES
Santos vence o San Lorenzo na Argentina e abre vantagem por vaga nos grupos da Libertadores
FATALIDADE
Técnico de informática morre após levar choque a partir de fone de ouvido
CANALHA
Pai comete estupro e diz que filha precisa saber "como é ter um homem"
SOB INVESTIGAÇÃO
Cantor gospel e pastor é encontrado morto e amarrado em árvore
CONTAMINAÇÃO
Igrejas superam mercado e consultório médico em risco de transmissão de Covid-19, aponta estudo