Menu
SADER_FULL
sexta, 18 de junho de 2021
Busca
Brasil

Presidente do Inep quer Exército e Correios cuidando do Enem

22 Dez 2009 - 05h17Por Terra

O novo presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), Joaquim Neto, defendeu que as Forças Armadas, a Polícia Federal e os Correios possam continuar atuando na segurança das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Neto substituirá Reynaldo Fernandes, que pediu demissão após a realização da nova prova do Enem, aplicada a mais de 2,5 milhões de alunos depois do vazamento de questões do exame original.

"A questão de segurança, da inteligência da Polícia Federal é fundamental. A Polícia Federal tem experiência nisso. A gente sabe que tem pessoas tentando fraudar. O que o Estado brasileiro não pode é não ter estrutura adequada. Os Correios são uma instituição que é especializada em logística. A entrada dos Correios do exame foi fundamental", comentou. Até final de janeiro, Joaquim Nato irá encaminhar ao ministro da Educação, Fernando Haddad, um plano de trabalho com as possíveis mudanças no Enem, incluindo a utilização recorrente dessas instituições e uma proposta para o eventual fim de licitações para a aplicação das provas.

"(O governo) Necessita de formas de o Estado escolher as instituições em que isso (segurança) tenha grande peso, e não apenas o preço. A experiência que eu tenho em relação à questão da licitação é que se você põe uma instituição que não tem estrutura, ela põe o preço lá embaixo e vai economizar onde? Na segurança. Isso não pode acontecer", salientou.

Ao anunciar os objetivos principais de sua gestão, o novo presidente do Inep disse que a meta é "estabilizar" a prova do Enem, recuperando a confiabilidade que o exame tinha antes do vazamento de suas questões este ano. "É um trabalho muito grande de estabilizar essa prova. Vimos na sociedade o quanto se tornou importante o ensino superior no país. Hoje tem uma ampla camada da sociedade preocupada com isso. Vamos trazer experiência metodológica e logística para o Inep, principalmente em relação ao Enem".

"Está muito claro (qual é) a importância de um exame desse porte. Uma coisa é fazer um exame para 100 mil ou 500 mil de pessoas. Outra coisa é para 4 milhões, 5 milhões. Precisa de logística, distribuição e segurança. Defendo que cada aluno que realize o exame e cada universidade que está colocando as suas vagas (vinculadas à prova) tenham segurança. Segurança exige um investimento e experiência", disse. "(O Inep) Vai trabalhar e fazer tudo que for preciso para isso (retomar credibilidade)", completou Joaquim Neto.

Deixe seu Comentário

Leia Também

LUTO NA MÚSICA
Cantora gospel que defendia tratamento precoce morre de Covid-19 após ter os pulmões comprometidos
VIDEO
Cliente carrega mangueira sem perceber e bomba pega fogo em posto de combustível de Foz do Iguaçu
AÇÕES DO GOVERNO MS
Reinaldo Azambuja propõe projeto com Itaipu para combater assoreamento nos rios Iguatemi e Amambai
COPA X VIRUS
'Desse jeito, o vírus vai levantar a taça', diz deputado após 52 infectados na Copa América
FAMOSIDADES
Apresentador mostra fotos de viagens românticas com filha de Faustão e se declara
SEIS DIAS DE TERROR
Homem mata uma família e aterroriza moradores em seis dias de fuga deixando rastros de crimes
TRISTEZA E COMOÇÃO
Jovem engenheiro morre em acidente com moto e comove cidade
MUI AMIGO
Homem obriga mulher de amigo a fazer sexo oral e leva surra em delegacia
DOENÇA DO SÉCULO
Homem de 33 anos deixa carta de despedida e tenta pular de ponte
ABSURDO
Família registra boletim de ocorrência após vitima de covid ser sepultado em cemitério errado