Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 11 de abril de 2021
Busca
Brasil

Presidente do Fla assume departamento de futebol

13 Out 2004 - 14h39
O presidente do Flamengo, Márcio Braga, concedeu uma entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira na sede do clube, na Gávea, e surpreendeu a todos que apostavam que ele anunciaria o ex-presidente Hélio Ferraz como novo vice-presidente de futebol do clube. Na verdade, Márcio decidiu acumular a função e descartou a possibilidade de demissões no setor.

Dessa forma, ele confirmou a permanência de Paulo Dantas, que vai auxiliá-lo no cargo, do diretor-técnico Júnior e de José Maria Sobrinho, diretor da Fla-Futebol, empresa que administra o departamento de futebol do clube. “Vou assumir a vice-presidência de futebol do clube e o Paulo Dantas, José Maria Sobrinho e o Júnior estão mantidos em seus cargos, uma vez que essa é a equipe que tem poderes para administrar o departamento de futebol do clube”, disse Márcio Braga.

Márcio Braga comentou a decisão de não entregar a vice-presidência de futebol a Hélio Ferraz, com quem se reuniu na noite de terça-feira. Apesar de não confirmar, Márcio não aceitou dar ao ex-presidente plenos poderes, conforme ele vinha exigindo. Hélio, porém, continua sendo um aliado político e vai cuidar do processo de transformação do clube em empresa.

“O Hélio vai prestar um grande serviço ao clube, gerenciando o processo de transformação do Flamengo em empresa, o que ele fará de forma muito competente. Realmente houve a possibilidade dele assumir a vice-presidência de futebol, mas achamos por bem que isso não acontecesse”, afirmou o dirigente.

Márcio Braga, que tinha se reunido com os jogadores após o coletivo desta manhã, chamou a atenção do zagueiro Júnior Baiano, que deu declarações criticando a crise política do Rubro-Negro. O jogador, que deixou o clube com cara de poucos amigos e sem dar entrevistas nesta quarta-feira, tinha dito anteriormente que a crise no Flamengo era uma 'palhaçada'.

“A partir do momento que se fala em palhaçada se fala em esculhambação, e quando se fala em esculhambação, se fala em falta de comando, que não é o que está acontecendo aqui. Além disso, os problemas no Flamengo não interferem dentro de campo. Se há falta de dinheiro, com a volta das vitórias, o dinheiro aparecerá”, disse Márcio Braga.

O dirigente disse que continuará dando seqüência ao processo de redução de gastos e que mais demissões acontecerão entre os funcionários do clube até dezembro. “Quando assumi encontrei o clube caótico na administração e falido nos aspecto financeiro. Encontramos uma folha de 736 funcionários e várias dívidas de impostos. Temos que baixar essa folha de pagamento de R$ 3 milhões para R$ 2,1 milhões até dezembro. Demitimos mais de cem funcionários e vamos demitir ainda mais até o fim do ano para podermos cumprir esta meta”, analisou.

 

Gazeta Esportiva

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVO CÓDIGO DE TRANSITO
Novo Código de Trânsito entra em vigor na segunda-feira; veja mudanças
LOCKDOWN É A SOLUÇÃO?
Araraquara X Bauru: dois retratos do Brasil com e sem lockdown contra a covid-19
AGRICULTURA SUSTENTAVEL NO MUNDO
II Congresso Mundial de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta deve receber 1 mil inscrições
MORTANDADE
Brasil bate marca de 4 mil mortes por Covid registradas em um dia pela 1ª vez
COPA LIBERTADORES
Santos vence o San Lorenzo na Argentina e abre vantagem por vaga nos grupos da Libertadores
FATALIDADE
Técnico de informática morre após levar choque a partir de fone de ouvido
CANALHA
Pai comete estupro e diz que filha precisa saber "como é ter um homem"
SOB INVESTIGAÇÃO
Cantor gospel e pastor é encontrado morto e amarrado em árvore
CONTAMINAÇÃO
Igrejas superam mercado e consultório médico em risco de transmissão de Covid-19, aponta estudo
CRISE NA PANDEMIA
Número de brasileiros que vivem na pobreza quase triplicou em seis meses, diz FGV