Menu
ASSEMBLEIA DEZEMBRO 2021
terça, 7 de dezembro de 2021
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
Brasil

Prefeitura coloca cem agentes de saúde no trabalho de combate à dengue

25 Jan 2010 - 16h30Por Assessoria

O mutirão de combate a dengue, que começou na semana passada em Dourados, conta com pelo menos cem agentes de saúde da prefeitura no trabalho de campo. Os 45 agentes de saúde contratados pelo município passaram por treinamento na sexta-feira e ontem começaram a trabalhar, reforçando as equipes do Centro de Controle de Zoonozes (CCZ).
Nesta terça-feira, às 15h, acontece uma reunião no Núcleo de Saúde do Estado, para um balanço da situação da dengue no município. Um representante da 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada do Exército Brasileiro foi convidado para participar. De acordo com o coordenador de Controle de Vetores do CCZ, Sebastião Marcondes, se houver necessidade o Exército vai colaborar com o município no combate à dengue no que for necessário.
Nesta segunda-feira o mutirão de combate à doença estava concentrado no Parque do Lago II. A previsão era que até o final da tarde o trabalho fosse concluído naquela região.
O mutirão organizado pelo município começou na terça-feira passada e a previsão é visitar cinco mil imóveis para orientação dos moradores e entrega de sacos de lixo. Nos locais mais críticos os agentes de saúde fazem a pulverização de inseticidas com máquinas costais dentro das casas. O controle do mosquito também é feito através do chamado “fumacê”. Nesta primeira fase o mutirão foi realizado na região do Parque do Lago, Jardim Flórida I e II, Estrela Porã e Novo Horizonte.
De acordo com Marcondes, nesta terça-feira o mutirão deve chegar aos bairros Jardim Clímax, Jardim Itália, Independência, Londrina, Cachoeirinha, onde o índice de infestação cresceu nos últimos dias. “Será um trabalho permanente. Não vamos dar trégua, pelo menos enquanto a dengue estiver avançando no município”, ressaltou Marcondes.
Além de recolher o lixo, as orientações são que os moradores limpem as piscinas, as lajes das casas, caixas d´agua, plantas que possam acumular água entre as folhas, além dos vasos e vasilhas de água de animais. “Com três a quatro dias, as larvas já se criam, se transformando no mosquito”, lembra Marcondes.

Leia Também

SONHO DA MATERNIDADE
Servidora Pública perde marido para a Covid, mas realiza sonho e dá à luz trigêmeos
LIÇÕES DA BIBLIA
O céu dos céus
covid_04.12 COVID NO BRASIL
Covid-19: país tem 22,1 milhões de casos e 615,5 mil mortes
LIÇÕES DA BIBLIA
Deuteronômio em escritos posteriores
ABUSO DE AUTORIDADE
PM arrasta homem negro algemado em moto; "Como na escravidão", diz gravação
REVOLTANTE
Índia de 13 anos violentada pelo avô busca ajuda e acaba estuprada por 4 em unidade saúde
DOENTIO
Mulher descongela geladeira e encontra corpo de bebê escondido em sacola
PONTE BIOCEÂNICA
Ponte Bioceânica vai ganhar nova data de lançamento; Bolsonaro e Marito participam
AÇÕES DO GOVERNO MS
Com estados da região Sul, Azambuja quer integração ferroviária e união para redução de carbono
PIX SAQUE
Pix Saque começa hoje:comércio vê nova ferramenta como chamariz para clientes,mas teme por segurança