Menu
SADER_FULL
domingo, 28 de novembro de 2021
Busca
Brasil

Prefeitos ignoram reunião sobre o hospital do câncer

18 Mar 2010 - 10h03Por Diário MS
Prefeitos de 33 municípios da região da Grande Dourados simplesmente ignoraram a reunião agendada para ontem, que tinha como principal objetivo discutir a construção do Hospital do Câncer de Dourados. Dos 34 prefeitos convidados para o encontro, realizado no gabinete do prefeito Ari Artuzi (PDT), apenas um compareceu – Edson Perez Ibrahim, de Batayporã. Outros seis municípios enviaram representantes e o restante simplesmente ignorou o convite. A ausência de representantes da grande maioria dos municípios convidados gerou críticas das autoridades políticas e de saúde pública presentes na reunião.
De acordo com a presidente da ACCGD (Associação de Combate ao Câncer da Grande Dourados), Virgínia Magrini, a reunião foi marcada com o objetivo de formar um consórcio com todos os municípios que enviam pacientes para tratamento em Dourados. A idéia é acelerar as obras do Hospital do Câncer, que ainda depende de investimentos de R$ 2 milhões para conclusão. “As prefeituras precisam se envolver mais. Para terminar a obra, precisamos da ajuda de todos”, disse ela. “Só quem já viveu um câncer sabe da importância de um atendimento de qualidade. Aqui, os médicos pegam a gente no colo e nos ajudam a lutar pela vida”, disse ela.
Apenas o prefeito de Batayporã participou da reunião. Outros seis municípios mandaram representantes – Laguna Carapã, Caarapó, Coronel Sapucaia, Itaporã, Aral Moreira e Vicentina. Outras 26 cidades não atenderam ao convite.
Revoltado com a ausência dos prefeitos da região, Ari Artuzi pediu para agendar uma nova reunião e lembrou que, apesar da falta de compromisso com o Hospital do Câncer, as prefeituras continuam contando com o atendimento prestado em Dourados. “A maioria não veio aqui hoje, mas as ambulâncias trazendo pacientes dessas cidades continuam chegando todos os dias”, reclamou o prefeito.
Único prefeito entre os convidados a participar da reunião, Edson Ibrahim disse que os municípios não deram “a importância necessária” ao evento e pediu um reforço na conscientização desses representantes políticos. “Muitos médicos, autoridades e até os próprios pacientes preferem o tratamento no hospital de Barretos, mas, presente aqui, conhecendo a realidade, percebi que é preciso uma maior conscientização dos prefeitos sobre o tratamento que existe em Dourados”, disse ele.
O secretário de Saúde, Mário Eduardo Rocha, lembrou que ninguém está livre do câncer – segundo ele, todas as pessoas têm quase 30% de chance de desenvolver algum tipo de câncer até os 90 anos de idade. “Todos precisam estar envolvidos, inclusive as entidades e os municípios da região. Não é um problema de terceiros, mas sim de todos nós. Ninguém está livre da doença”, disse o secretário, que é médico.
A média oncologista Viviane Andreatta disse que em 2009 o serviço oncológico de Dourados fez o diagnóstico e o tratamento de 1.050 pacientes com câncer, boa parte deles de municípios da região. “Na cidade, o número de pessoas atendidas não parece grande, mas quando todos esses pacientes chegam aqui, é preciso ter estrutura necessária para atendê-los”, afirmou a médica.

Leia Também

COVID NO BRASIL
Covid-19: Brasil registra 229 óbitos e 9,2 mil novos casos
# PREVENIR É O REMÉDIO
Covid-19: Brasil registra 303 mortes e 12.126 casos em 24 horas
DESESPERO
Vídeo: veja momento em que calçada cede e pessoas caem em rio
PÂNICO NO AEROPORTO
Vídeo mostra passageiros gritando e muito desespero em avião da Azul; veja
EMBOSCADA
Jovem morre após ser atingida por tiro na cabeça
# PREVENIR É O REMÉDIO
Covid -19 casos sobem para 22,043 milhões e mortes, para 613,3 mil
ESTUPRO DE VUNERALVEL
Menina de 11 anos conta para avô que é estuprada pelo padrasto
CRUELDADE
Justiça nega exame de insanidade a mulher que esquartejou filho
MANIACO SEXUAL
Homem é filmado passando a mão em mulher no meio da rua
+ AUMENTO
Conta de luz deve subir mais de 20% no ano que vem, estima ANEEL