Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sábado, 23 de outubro de 2021
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
Brasil

Preço do milho cai 30% em 40 dias em MS

31 Jul 2006 - 11h00
Depois de atingir a casa dos R$ 14 há cerca de 40 dias, o preço do milho voltou a cair em Mato Grosso do Sul. A saca de 60 quilos está cotada na casa dos R$ 9,50 na região de Dourados e pode, segundo os analistas de mercado, cair ainda mais durante a semana, podendo chegar aos R$ 9. "Infelizmente o preço do milho não se sustentou por muito tempo, apesar das investidas do governo, que entrou comprando o produto para tentar equilibrar o mercado", disse Joni Messias, gerente comercial da maior cooperativa de grãos do Estado.
A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) fez diversos leilões para a compra do produto no momento em que o milho começava a ser colhido no Estado. A intervenção na época deu certo, pois atraiu vários produtores que podiam vender até 10 mil sacas. A Conab chegou a pagar R$ 14 pela saca, o que rendia em média R$ 12,50 livre ao produtor.
No entanto, assim que a colheita começou a ficar mais intensa, os preços não se seguraram e voltaram a preocupar a classe produtora. Estimativas da Associação dos Engenheiros Agrônomos da Grande Dourados (Aeagran) indicam que entre 40% e 50% da produção estadual já foram colhidos. Mato Grosso do Sul deve colher este ano cerca de 1,5 milhão de toneladas do produto.
A produção, segundo o IBGE, é em média 40% maior que a safrinha passada, quando as lavouras foram mais prejudicadas pela estiagem em relação a este ano. "O preço do milho não caiu apenas por causa do crescimento da produção e sim por um conjunto de fatores que interferem na cadeia do produto. Tivemos problemas também nas indústrias abatedouras de aves e com as fábricas de ração, que foram afetadas por causa das restrições de mercado ocasionadas pela gripe aviária e a doença de Newcastle", avaliou Joni.
Ele acredita que o preço poderia reagir, caso o governo aumentasse o volume comprado no Estado, que é de apenas 30 mil toneladas por semana. "Isso representa quase nada diante da produção que temos. No Mato Grosso, o governo compra 200 mil toneladas por semana e no Paraná chega a 100 mil toneladas", compara ao ressaltar que, além do preço em queda, o mercado está parado em todo Estado.
 
 
Dourados Agora

Leia Também

OLIMPÍADA 2024
Atletas de MS terão bolsas de até R$ 7 mil para competir nos jogos olímpicos
LIÇÕES DA BÍBLIA
Estudo adicional
VOLTOU A SUBIR
Covid-19: Brasil registra 15.609 casos e 373 mortes em 24 horas
ESTAVA DESAPARECIDO
Corpo de pescador é encontrado dentro de jacaré
LIÇÕES DA BÍBLIA
O principal mandamento
BAIXARAM A GUARDA
Covid-19: Brasil registra 390 mortes e 12,9 mil casos em 24 horas
LIÇÕES DA BÍBLIA
Se me amam, guardarão os Meus mandamentos
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Funtrab está com 655 vagas para indígenas interessados em trabalhar em lavouras de maçã em SC e RS
ALERTA TEMPORAIS
Chance de Tempestades (La Ninã) no final do ano é de 87%, aponta atualização do NOAA
LIÇÕES DA BÍBLIA
Ele nos amou primeiro