Menu
SADER_FULL
quarta, 23 de junho de 2021
Busca
Brasil

Prazo para José Arruda renunciar ao cargo termina em abril

2 Mar 2010 - 08h38Por Agência Estado

O governador licenciado do Distrito Federal, José Roberto Arruda (ex-DEM), pode renunciar ao cargo para fugir da possibilidade de perder os direitos políticos até antes da abertura da sessão plenária na qual será votado o mérito do impeachment dele. Esta sessão deve ocorrer no final de abril.

José Roberto Arruda é acusado, em inquérito da Operação Caixa de Pandora, de comandar um esquema de corrupção no governo do Distrito Federal. Ele está preso na Polícia Federal desde o último dia 11 por obstrução das investigações.

Na segunda-feira, 1º, o processo de impeachment de José Roberto Arruda ainda estava na fase de admissibilidade. O pedido de impeachment apresentado contra o governador foi avaliado pela Procuradoria da Câmara, depois pela CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) e, por fim, pela Comissão Especial, criada para analisar o assunto.

Esta semana, o processo entrará na última etapa desta primeira fase, quando o plenário da Casa deve referendar a admissibilidade do processo. Amanhã, às 10 horas, o parecer do deputado Chico Leite (PT) será lido. Na quinta-feira, também às 10 horas, haverá votação. A votação é aberta. A ação precisa ser aprovada pela maioria simples dos presentes à sessão.

Na segunda etapa, de análise do mérito do processo, o governador licenciado será notificado e terá 20 dias para apresentar defesa. Chico Leite, o relator, terá dez dias de prazo para fazer novo parecer. Aprovado este segundo parecer pela Comissão Especial, o processo de impeachment entrará na pauta do plenário.

É antes desta sessão que Arruda ainda pode renunciar para fugir da cassação dos seus direitos políticos. Se o governador renunciar depois desta etapa, o processo não é extinto e, ao final da análise da Câmara Legislativa, apesar de estar fora do cargo, Arruda pode ter a inelegibilidade decretada.

Para valer o impeachment, dois terços dos deputados (16 dos 24) precisam aprovar o processo. A votação é aberta. A partir deste momento, José Roberto Arruda será afastado das funções por 120 dias, enquanto um Tribunal Especial, formado por cinco desembargadores e cinco deputados distritais, analisará a constitucionalidade do processo e determinará se o impeachment deve ou não ser decretado.

"O processo inicia-se com a segunda votação do plenário da Casa Legislativa com a procedência da acusação por dois terços dos deputados, que tem como consequência direta o afastamento de suas funções e encaminhamento do processo ao Tribunal Especial, seja porque já ocorreu a defesa do denunciado e a relação jurídica processual instaurada, seja porque a tramitação não fica sob o alvedrio do denunciado em ser intimado (princípio da impessoalidade)", afirma parecer da Procuradoria-geral da Câmara Legislativa.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CRIME BRUTAL
Mulher é encontrada morta com rosas, uma aliança nas mãos e frase cruel escrita na testa
TRAGEDIA
Casal é encontrado morto no banheiro com o chuveiro ligado
VEJA VÍDEO
Servidora não deixa lençol sujar com sangue de bandido e viraliza na internet
LUTO NA TV
Apresentador do Balanço Geral morre vítima da covid
COPA AMÉRICA
Com mudanças, Brasil encara Colômbia para garantir liderança do grupo
JOGOS ONLINE
Expectativas para legalização de jogos de azar movimenta mercado internacional
Policial
Criança de 6 anos sofre trauma de crânio após cair de atração no Beto Carrero World
DOSE ÚNICA
Avião com 1,5 milhão de doses da Janssen chega amanhã, diz ministro
REAÇÃO CERTEIRA
Mulher flagra filha sofrendo estupro e esfaqueia pedófilo
VIOLENCIA DOMESTICA
Menina de 12 anos furta bisavô e leva 10 chibatadas da mãe por ordem do CV