Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 13 de abril de 2021
SADER_FULL
Busca
Brasil

Prazo para candidato prestar contas vence em novembro

7 Out 2004 - 17h48
No dia 3 de novembro vence o prazo para os candidatos prestarem contas das despesas de campanha. Os partidos ou os candidatos devem encaminhar à Justiça dados comprovando as receitas e despesas da campanha eleitoral.

Candidato que tiver as contas rejeitadas não poder ser diplomado e ainda pode ser alvo de ação movida pelo Ministério Público Eleitoral. A Justiça Eleitoral determina que o prazo é de 30 dias após a votação.

O 30º dia é dois de novembro, feriado de Finados. Por resolução de fevereiro do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), a captação de recursos só podia ser feita até o dia do pleito e a quitação de despesas até o dia limite para a prestação de contas.

No caso de sobra de campanha, o dinheiro fica para o partido ou para a coligação dividir entre os partidos que foram aliados. A prestação de contas inclui até os dados dos candidatos que renunciaram. As informações são do Campo Grande News.

Deixe seu Comentário

Leia Também

EXEMPLAR
Cidade modelo que vacinou 64% da população vê casos de covid-19 caírem 78%.
NOVO CÓDIGO DE TRANSITO
Novo Código de Trânsito entra em vigor na segunda-feira; veja mudanças
LOCKDOWN É A SOLUÇÃO?
Araraquara X Bauru: dois retratos do Brasil com e sem lockdown contra a covid-19
AGRICULTURA SUSTENTAVEL NO MUNDO
II Congresso Mundial de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta deve receber 1 mil inscrições
MORTANDADE
Brasil bate marca de 4 mil mortes por Covid registradas em um dia pela 1ª vez
COPA LIBERTADORES
Santos vence o San Lorenzo na Argentina e abre vantagem por vaga nos grupos da Libertadores
FATALIDADE
Técnico de informática morre após levar choque a partir de fone de ouvido
CANALHA
Pai comete estupro e diz que filha precisa saber "como é ter um homem"
SOB INVESTIGAÇÃO
Cantor gospel e pastor é encontrado morto e amarrado em árvore
CONTAMINAÇÃO
Igrejas superam mercado e consultório médico em risco de transmissão de Covid-19, aponta estudo