Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 3 de março de 2021
SADER_FULL
Busca
Brasil

Polícia pode ouvir novamente pivô de confusão em que PM foi morto

17 Mai 2011 - 11h19Por Campo Grande News

O delegado de Polícia Civil Humberto Peres de Lima pode voltar a ouvir a guarda municipal de Dourados Zilda Ramires, 44 anos, no inquérito em que o policial federal Leonardo de Lima Pacheco, 38 anos, foi indiciado pela morte do policial militar Sandro Morel e pela tentativa de homicídio conta outro PM, José Pereira, ocorridas no dia 8 de maio.

Zilda já prestou depoimento, no dia do crime, mas diante do depoimento de ontem do agente da polícia federal, foram evidenciadas divergências na versão contada pela guarda e por ele para o que aconteceu no prédio onde Leonardo mora. A dúvida principal é sobre quem atirou primeiro e ainda se houve identificação por parte do policial militar, como garantiu Zilda.

O policial afirmou que agiu em legítima defesa, que não houve identificação e que primeiro foi atingido por um disparo por parte de Sandro Morel, que, junto com Zilda e José Pereira, foi até o apartamento de Leonardo para investigar a suspeita da guarda de que ali morava um traficante.

Essa suspeita surgiu de uma conversa de Zilda com Leonardo na internet, em que ele propôs a ela um encontro sexual e ela exigiu saber a profissão dele para poder ir ao local.

O policial federal disse ao delegado que chegou a perder o interesse por Zilda quando ela condicionou o encontro ao pagamento de um valor e que disse ser traficante até para que ela desistisse, o que não aconteceu. O relato dele é que, ao contrário disso, a guarda se mostrou mais interessada e não reprovou a suposta profissão.

Encaminhamento - O depoimento durou 5 horas. O delegado disse que agora os interrogatórios serão confrontados e, se necessário, tanto Zilda quanto o outro policial serão ouvidos novamente.

Ele também aguarda os resultados da balística e da perícia nos computadores do agente e da guarda municipal.

Ela está afastada dos serviço, pela corporação e por ter apresentado atestado médico, e responde a sindicância. Ele também responde a sindicância, mas não foi afastado do trabalho, embora não tenha voltado ainda por causa do ferimento a bala que sofreu.

Deixe seu Comentário

Leia Também

100 TRÉGUA
Brasil registra 1.726 mortes em 24 horas e bate novo recorde na pandemia; total chega a 257,5 mil
EXECUÇÃO NA MADRUGADA
Dona de bar é degolada e corpo encontrado nos fundos do estabelecimento
ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Filho de fazendeiro reclama de dor anal e mãe descobre estupro cometido por funcionário
BOA NOTICIA
Governo zera PIS e Cofins do diesel e do gás de cozinha
RIGOR DA LEI
Cidade vai multar em até R$ 60 mil quem descumprir decreto de combate ao Covid-19
PANDEMIA 100 FIM
Brasil tem 30.484 mortes por Covid-19 em fevereiro, 2º maior número em toda a pandemia
charge_gasolina 100 TRÉGUA
Facada: Petrobras anuncia novo aumento nos preços da gasolina e diesel
CARCERE PRIVADO
Homem é preso por cárcere privado e violência doméstica após mulher pedir socorro com foto nas redes
NOVO AUXILIO
Presidente afirma Auxílio emergencial deve voltar em março, com parcelas de R$ 250
ALERTA EPIDEMIOLÓGICO
Covid-19: Brasil registra 1.541 mortes em 24 horas