Menu
SADER_FULL
segunda, 8 de março de 2021
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
Brasil

Polícia intima equipe médica após morte de criança em hospital no Rio

1 Jun 2011 - 08h18Por G1

A polícia tenta descobrir o que provocou a morte do menino de 3 anos, que não resistiu às três cirurgias realizadas no Hospital infantil Samci, no Andaraí, na Zona Norte do Rio. Nesta terça-feira (31), um dia após a morte da criança, a investigação passou da 19ª DP (Tijuca) para a 20ª DP (Vila Isabel). O delegado responsável pelo caso, Rodolfo Waldeck Monteiro, adiantou que intimou a equipe médica responsável pelas cirurgias, assim como parentes da criança.

O delegado também teve acesso nesta terça ao laudo médico do menino. Ele aguarda o resultado do Instituto Médico Legal, que deve atestar a causa da morte. A polícia investiga se houve erro médico ou negligência dos profissionais. De acordo com a nota divulgada pelo hospital nesta terça, o óbito foi constatado às 18 horas de segunda-feira (30), tendo como causa provável broncoaspiração.

“Eu já repassei esse laudo para os técnicos do IML. Ainda é muito cedo para apontar culpados, preciso ouvir todos os envolvidos, sejam médicos, enfermeiros, pais, parentes, enfim, quem teve contato com a criança”, explicou Monteiro.

Procedimentos cirúrgicos simples

O menino morreu após passar por três procedimentos cirúrgicos, considerados simples pelos médicos. Ele foi submetido a "postectomia (correção da fimose), adenoidectomica (procedimento cirúrgico responsável pela remoção de uma formação linfóide que cerca as cavidades nasais) e turbinectomia (cirurgia para remover parte das estruturas dos cornetos nasais - ambos os ossos e tecidos moles - na cavidade nasal)".

Ainda na nota divulgada nesta terça (31), o Hospital Samci afirmou que "os procedimentos transcorreram sem qualquer anormalidade sob o ponto de vista cirúrgico e anestésico, tendo sido liberado do ato cirúrgico após superficialização anestésica".

A criança foi enterrada na tarde desta terça-feira (31) no cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, na Zona Oeste.

O Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro (Cremerj) informou, nesta terça, que pretende abrir uma sindicância para investigar o caso.

Pai reclama de falta de assitência do hospital
O pai da criança, Márcio Anderson, reclamou da falta de assistência do hospital. “Ninguém deu atenção para a gente no hospital. Ninguém falava nada”, disse. Ainda segundo ele, a família chegou a ser chamada por alguns médicos. “Chegou um determinado momento que uma das pessoas que participou da cirurgia do meu filho nos chamou lá em cima para conversar e disseram na nossa cara que não sabiam explicar o que tinha acontecido”, afirmou.

Márcio declarou ainda que, a princípio, os médicos disseram que o menino havia tido uma parada respiratória provocada pela ingestão de uma secreção. Para ele, o acompanhamento médico não foi adequado.

“Ele saiu da cirurgia e dormiu desde então. Não sei se meu filho acordou, não sei nem se ele abriu os olhos”, disse com a voz embargada, acrescentando que a mãe do menino passou o dia inteiro ao lado da criança. “A enfermeira falou para ela que era normal (ele dormir) devido a anestesia e que seria bom por causa das dores”, contou ele.

Médica em outro hospital
Segundo o pai do menino, a médica que participou da cirurgia não estava no hospital na hora do óbito. "A médica que tinha operado tinha saído do plantão para poder cumprir outro plantão em um outro hospital, o Souza Aguiar. Ela saiu com tanta pressa que nem o óbito do meu filho conseguiu aprontar. Tivemos que enviar uma equipe médica até o outro hospital para que ela pudesse assinar o atestado de óbito do menino", reclamou.

Os agentes da 20ª DP (Vila Isabel) foram nesta terça até o hospital Souza Aguiar, para descobrir se a médica realmente estava no local durante o óbito da criança.

Justiça
A família agora analisa a possibilidade de entrar na Justiça contra o hospital. “Meu sentimento é de justiça. Quantas vezes mais vamos ter que perder crianças dessa forma?”, indagou Márcio.
O advogado da família já foi acionado e está estudando o caso. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRISTEZA E COMOÇÃO
Vitimas da Covid-19, pai e filho são sepultados no dia
AUXILIO POPULAÇÃO
Auxílio emergencial: valores serão de R$ 175, R$ 250 e R$ 375, diz Guedes
SOS MATO GROSSO
Mato Grosso anuncia colapso e pede socorro, mas estados dizem que não têm vaga para ajudar
ELEGIVEL
Fachin anula condenações de Lula e petista volta a ser elegível
100 CONTROLE
Petrobras aumenta preços e gasolina pode atingir R$ 6 em Campo Grande
100 UTI = OBITO
Ministério da Saúde prevê 3 mil mortes por dia por covid-19 nas próximas duas semanas
TRISTEZA NA FAMILIA
'Não tem UTI,amo vcs':a história por trás do tuíte viral que revela mensagens de mãe morta por covid
DISPARO ACIDENTAL
Assessor em fazenda do cantor Leonardo morre vitima de tiro acidental
VIOLENCIA DOMESTICA
Vítima de violência doméstica escreve bilhete com pedido SOS em agência bancária: 'Ele tá ai fora'
ALERTA AO CPF
Confira se o seu CPF foi usado de maneira IRREGULAR por desconhecidos