Menu
SADER_FULL
quarta, 12 de agosto de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Polícia Federal fecha bingos e casas de jogos em Campo Grande

25 Abr 2007 - 08h18

A Polícia Federal fechou no começo da noite de hoje os bingos Senador, Golden Bingo e Bingo Cidade e as casas de jogos  Winner e Chaparrau em Campo Grande por determinação judicial. Também por determinação da Justiça foram apreendidos equipamentos utilizados para Vídeo Poker nas casas de jogos.

Esta ação atende os resultados da Operação Têmis, que trata do esquema de venda de decisões judiciais favoráveis aos bingos e bicheiros. A ordem foi da 5º Vara da Justiça Federal, após a decisão favorável ao Ministério Público, que em 2004 entrou com ação para fechar os bingos em MS. A decisão judicial de hoje acabou com a validade das liminares que permitiam o funcionamento dos bingos no Estado.

Segundo a TV Morena, nas casas de jogos Winner e Chaparrau os policiais apreenderam 75 computadores e 70 máquinas leitoras de cartão magnético, que são consideradas jogos de azar, mas os estabelecimentos não foram fechados. Os bingos tiveram as portas lacradas com um aviso de “Interditado pela Justiça Federal”.

Operação Têmis

A Polícia Federal deflagrou na sexta-feira passada (20) a Operação Têmis (nome da deusa grega da Justiça) contra uma suposta quadrilha que negociava a venda de sentenças judiciais com o objetivo de fraudar a Receita Federal e, em menor escala, permitir o funcionamento de bingos.

Durante a operação - realizada em São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Campo Grande (MS) - a PF fez buscas e apreensões nas casas e escritórios de três desembargadores, dois juízes, um procurador da Fazenda Nacional, uma funcionária da Receita Federal, além de advogados e policiais civis.

De acordo com as investigações da PF, a quadrilha pagava uma mensalidade de R$ 20 mil a R$ 30 mil para desembargadores, juízes, um procurador da Fazenda Nacional e uma funcionária da Receita Federal. O esquema contaria ainda com a participação de policiais civis.

Além da mensalidade, segundo ele, a organização criminosa pagaria para os magistrados R$ 150 mil por sentença favorável. A mensalidade de R$ 20 mil a R$ 30 mil seria uma espécie de taxa de manutenção do sistema criminoso.

 

 

Mídia Max

Deixe seu Comentário

Leia Também

HORÓSCOPO DO DIA
Horóscopo desta quarta-feira 12 de agosto de 2020
DEU RUIM - OZONIOTERAPIA
COVID: Deputada que apoia aplicação de ozônio no combate ao coronavírus é internada com covid-19
VÍTIMA CORONAVÍRUS
CORONAVÍRUS: Médica de 29 anos perde a vida para a covid-19 após ficar quase 30 dias da UTI
BRASIL - 102.034 MORTES
Brasil confirmou 102.034 mortes e contabiliza 3.068.138 infectados pela Covid-19.
SAÚDE
CLOROQUINA: Pacientes reumáticos que fazem uso de cloroquina não estão imunes ao coronavírus
CORONAVIRUS NO ESPORTE
Covid-19: jogo do CSA é adiado após confirmação de mais nove casos
ESTAVA DESAPARECIDO
Policial Militar é encontrado morto dentro de fossa e pode ter sido assassinado
FATALIDADE
Homem morre soterrado em armazém de soja enquanto fazia limpeza
100 MOTIVAÇÃO
Desiludido e com medo de contágio, eleitor de MT vai sumir das urnas
HORÓSCOPO DO DIA
Horóscopo do dia: a previsão de hoje (11/8) para o seu signo