Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quinta, 29 de julho de 2021
Busca
Brasil

PMDB estadual segue com Serra e cobra fidelidade dos filiados

14 Out 2010 - 15h42Por Mídia Max

 

A cúpula do PMDB de Mato Grosso do Sul manteve o apoio a José Serra (PSDB) no segundo turno da corrida presidencial, tal como havia sido feito no primeiro turno. A decisão foi tomada por 33 votos a quatro, em reunião no diretório estadual do partido em Campo Grande nesta quinta-feira (14).

Participaram do encontro os membros da executiva estadual e lideranças do PMDB, como o governador André Puccinelli, prefeitos e parlamentares. Entre os que vão continuar a apoiar Dilma Rousseff (PT) está o prefeito de Campo Grande, Nelson Trad Filho. No primeiro turno, ele já havia se desvinculado da orientação estadual ao pedir votos para a candidata petista.

A presença do PMDB na coligação petista, por meio do deputado federal Michel Temer - que ocupa a vaga de vice-presidente na chapa de Dilma Rousseff -, não impede que o partido apóie outro candidato ao Palácio do Planalto. Para o presidente do diretório estadual do PMDB, Esacheu Nascimento, o que houve foi um "acordo de cavalheiros".

"O PMDB estadual comunicou formalmente nossa postura ao Michel Temer, e ele entendeu. Em Mato Grosso do Sul não tínhamos condições de ser o segundo palanque da candidata Dilma", disse Nascimento. Faltando duas semanas para as eleições, os membros dos diretórios municipais serão mobilizados para pedir votos na base do corpo-a-corpo.

Fidelidade partidária

Os caciques peemedebistas aproveitaram o encontro para cobrar fidelidade partidária de seus membros. Nascimento citou casos em que lideranças regionais pediam votos para a coligação adversária, e até mesmo trabalhavam contra a chapa encabeçada por André Puccinelli.

"Não é mais possível conviver com essa situação de promiscuidade partidária. Alguns agiam em detrimento dos interesses do partido. Deve haver respeito entre as lideranças maiores e os representantes regionais", afirmou.

O diretório estadual deve realizar uma convenção no início do próximo ano para avaliar os casos mais graves de indisciplina, podendo chegar à expulsão dos "infiéis".

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

COVID-19
Em dia de aumento de casos Brasil tem 1.333 óbitos por Covid - 19 nas últimas 24 horas
CONCURSO PÚBLICO
Caixa Econômica convocará 9 mil de concursos e abre mais mil vagas
BRASIL - 550.502 MORTES
Covid-19: país ultrapassa 550 mil mortes e tem 19,7 milhões de casos
COVID 19 NO BRASIL
Brasil registra 19,68 milhões de casos de covid-19 e 549,92 mil mortes
Foto: Mycchel Legnaghi - São Joaquim online PREVISÃO DO TEMPO
Maior frio do ano? Temperaturas negativas, geada e até neve!
TRABALHO ESCRAVO
Aliciamento de crianças: família de líderes religiosos é presa em operação da polícia
ATO OBSCENO
Homem é detido após entrar nu em culto evangélico
TRAIÇÃO
Vídeo: Mulher flagra marido com travesti dentro do carro e 'pancadaria come solta'
COVID 19 NO BRASIL
Brasil tem 1 órfão por covid a cada 5 minutos: 'Pensamos que crianças não são afetadas, mas sim
SELEÇÃO OLIMPICA
Brasil ameaça passeio em estreia contra a Alemanha, mas desperdiça chance de goleada histórica