Menu
SADER_FULL
domingo, 14 de agosto de 2022
BANNER IMPRESSORAS
Busca
Brasil

PIS começa a pagar amanhã abono a 14 milhões de trabalhadores

10 Ago 2010 - 13h34Por Terra

Os trabalhadores nascidos em julho que têm direito ao abono do PIS poderão sacar a partir de amanhã o equivalente a um salário mínimo (R$ 510). Quem tem o cartão do cidadão e senha cadastrada pode retirar o dinheiro nos terminais de auto-atendimento da Caixa, nas lotéricas ou nos correspondentes Caixa Aqui.

Antes de ir à Caixa, o trabalhador deve verificar se já neo teve creditado o valor na conta. Desde o dia 19 de julho, 4,5 milhões de trabalhadores que têm conta corrente ou poupança na Caixa já tiveram o valor creditado.

O Ministério do Trabalho estima em 18,4 milhões o número de trabalhadores com direito ao abono. Estão aptos a receber os trabalhadores cadastrados no PIS ou Pasep há pelo menos cinco anos; que trabalharam pelo menos 30 dias no ano-base 2009; receberam até dois salários mínimos de média no período trabalhado (2009), e seus dados foram informados corretamente na Relação Anual de Informações Sociais (Rais de 2009) pela empresa ou instituição empregadora. Os trabalhadores que têm o valor creditado na folha de pagamento recebem de julho a setembro.

Leia Também

ACIDENTE FATAL
Motociclista de 27 anos bate na traseira de trator e morre em vicinal
TRAGEDIA NA RODOVIA
Sete pessoas morrem e três ficam feridas em acidente entre caminhão e van
AUXILIO POPULAÇÃO
Governo libera empréstimo consignado para beneficiários do Auxílio Brasil
TRAGÉDIA
Carro explode durante abastecimento e amputa pernas de frentista
NOITE DE TERROR
Moradores relatam medo vivido em confronto com oito mortos
ACIDENTE DE TRABALHO FATAL
Trabalhador morre soterrado ao fazer limpeza em silo de grãos
AGRESSÃO NA ESCOLA
Mulher invade escola e espanca aluna a pauladas
COVID NO BRASIL
Covid-19: Brasil ultrapassa o número de 680 mil mortos pela doença
AUXÍLIO BRASIL AUXILIO POPULAÇÃO
Auxílio Brasil de R$ 600 e vale-gás saem hoje para mais um grupo
BRASIL + POBRE
Estudo mostra alta da pobreza em regiões metropolitanas