Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 27 de janeiro de 2021
Busca
Brasil

Pílula do dia seguinte: vendas aumentaram 21% em 2010

10 Jan 2011 - 18h06Por Agência Aids

As vendas da PÍLULA DO DIA SEGUINTE aumentaram 21% no ano passado, um crescimento que surpreende os especialistas, noticia a agência Lusa.

No ano passado venderam-se mais de 263 mil unidades, segundo dados da consultora IMS Health.

As estimativas da empresa mostram uma inversão na tendência de estagnação de venda da PÍLULA DO DIA SEGUINTE, que vinha a sentir-se desde 2006.

Entre Dezembro de 2009 e Novembro de 2010 foram vendidas 263 mil unidades, mais 46 mil do que no período homólogo anterior.

Especialistas contactados pela agência Lusa têm dificuldade em interpretar o fenómeno.

"Não encontro nenhuma explicação para este aumento", disse o presidente da Sociedade Portuguesa de Obstetrícia e Medicina Materno-Fetal, Luís Graça.

Também o presidente da Sociedade Portuguesa de Ginecologia e Obstetrícia, José Martinez Oliveira, estranha o crescimento, arriscando uma hipótese: "Existe uma nova postura social que poderá estar associada ao facto de as pessoas já não usarem os métodos de contracepção regulares".

Vendida como uma solução de emergência para um acontecimento inesperado, algumas pessoas viram na PÍLULA DO DIA SEGUINTE um método CONTRACEPTIVO regular.

"Há casos em que usam sempre que têm uma relação sexual", criticou José Martinez Oliveira.

À Maternidade Júlio Dinis, no Porto, chegam mulheres para quem a toma desta PÍLULA já se tornou um hábito.

"Conheço casos que já a usaram dez e quinze vezes", contou Serafim Guimarães, ginecologista há 35 anos na maternidade portuense.

Colocada no mercado em 2000, a PÍLULA DO DIA SEGUINTE foi tendo um aumento gradual de utilização durante os primeiros seis anos. Em 2006, as vendas estagnaram, rondando as 220 unidades anuais.

Luís Graça lamentou a falta de informação dos portugueses na área da sexologia: "As mulheres utilizam-nas nas situações mais disparatadas.

Há mulheres que nem sequer têm noção do seu próprio ciclo menstrual".

No entanto, todos os especialistas salientam a importância deste produto no mercado.

"A PÍLULA DO DIA SEGUINTE é uma arma importante que teve um impacto na redução das gravidezes indesejadas", sublinhou a coordenadora das consultas de mães adolescentes grávidas na Maternidade Alfredo da Costa, Ana Isabel Machado.

A legislação que em 2007 veio legalizar a interrupção voluntária da gravidez (IVG) também poderá ter alterado a forma de utilizar a PÍLULA DO DIA SEGUINTE.

Em 2008, as farmácias e parafarmácias registaram um decréscimo de dois% nas vendas: 216 799 unidades vendidas.

Para alguns especialistas, as IVG têm um peso na história da primeira década da PÍLULA DO DIA SEGUINTE em Portugal.

"Há a percepção em vários centros (hospitalares) de que as pessoas usam a interrupção voluntária da gravidez como método de acabar uma gravidez.

Há pessoas que já fizeram mais do que uma interrupção, porque a vêem como uma solução fácil para o problema", alertou José Martinez Oliveira, explicando que já casos que já nem recorrem à PÍLULA de emergência

Deixe seu Comentário

Leia Também

SONHOS INTERROMPIDOS
Pais perdem filho de 7 anos em tragédia na BR-376: "Passaram o dia montando a casa para receber ele"
AUXILIO POPULAÇÃO
Governo federal aprova auxílio emergencial para 196 mil pessoas
UTI LOTADAS
13 crianças com covid estão em estado grave em Cuiabá
ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Mãe descobre estupro ao desconfiar que filha de 12 anos tinha ciúmes do padrasto
VIRUS A SOLTA
Caixão com corpo que tinha identificação de risco biológico por Covid é achado em estrada
TRAGEDIA NA RODOVIA
Jovem fez vídeo antes de morrer em acidente no Paraná: 'Devagar, motora'
FATALIDADE
Padre cai de pedra em cachoeira e corpo é encontrado em poço
GANGUE DO TIJOLO
Menores entre 13 e 17 anos formam bando e fazem 'arrastão'; veja vídeo
LUZ DO DIA
Empresário é executado com três tiros dentro de carro
SELFIE DA MORTE
Professora tenta tirar selfie e morre afogada ao cair no mar