Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quinta, 21 de janeiro de 2021
Busca
Brasil

PF indicia aliado de Temer sob suspeita de fraude no PAC

16 Fev 2011 - 06h33Por Folha Online

A Polícia Federal indiciou nesta terça-feira (15) o ex-deputado Eliseu Padilha (PMDB-RS) por suspeita de formação de quadrilha e de fraude na licitação de obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) no Rio Grande do Sul.

Padilha, que não se reelegeu para a Câmara dos Deputados, é um dos aliados mais próximos do vice-presidente Michel Temer no comando da máquina peemedebista. Atualmente Padilha preside a Fundação Ulysses Guimarães, ligada ao partido. Ele também foi ministro dos Transportes (governo FHC).

O indiciamento ocorreu hoje à tarde, após Padilha prestar depoimento na Delegacia de Repressão a Crimes Fazendários da superintendência da PF no RS. A PF não deu detalhes alegando que o caso corre em segredo de Justiça.

OPERAÇÃO SOLIDÁRIA

A PF chegou a Padilha no curso da chamada Operação Solidária, destinada inicialmente a apurar superfaturamento e desvio de dinheiro da merenda escolar em prefeituras da região metropolitana de Porto Alegre.

A investigação se desdobrou em vários inquéritos com o surgimento de indícios de fraudes nas licitações de obras de infraestrutura.

O peemedebista é investigado em inquérito sobre suposta fraude na licitação para a construção de barragens de Jaguari e Taquarembó, no Rio Grande do Sul. Orçadas em R$ 150 milhões, as obras integram o PAC.

Em 2008, o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Marco Aurélio Mello autorizou que Padilha, então congressista com prerrogativa de foro privilegiado, fosse investigado.

PAGAMENTOS

Em 2009, a revista "IstoÉ" publicou trechos do inquérito sigiloso que apontava que a PF rastreou depósito de R$ 267 mil da MAC Engenharia, uma das empresas investigadas pela PF, na conta de uma das empresas de Padilha, em 2007.

Interceptações telefônicas, realizadas com autorização judicial, também captaram diálogos entre Padilha e empreiteiros investigados. Em um deles, o dono da MAC Engenharia, Marco Aurélio Camino, afirma que vai "viabilizar cem" para Padilha --seria uma menção cifrada a valores, segundo interpretação da PF.

OUTRO LADO

A Folha procurou o ex-deputado Padilha hoje à tarde, mas ele não foi encontrado. Sua assessoria informou que ele estava em reunião e que emitiria uma posição sobre o indiciamento ainda hoje.

Em ocasiões anteriores, a defesa de Padilha afirmou que o pagamento de R$ 100 mil, citados no grampo, era relativo à venda de um imóvel no litoral do RS. Os R$ 267 mil seriam referentes a uma consultoria prestada pelo escritório do então deputado.

A defesa de Camino também negou reiteradas vezes que o empreiteiro tenha integrado um esquema de favorecimento ilegal em licitações ou que tenha pago propina a políticos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

tratamento precoce prefeito curitiba 100 TRATAMENTO
"Estão no Cemitério", diz prefeito de Curitiba sobre pessoas que usaram tratamento precoce Covid-19
A CASA CAIU
Mulher invade casa e flagra namorado fazendo sexo com outra; veja vídeo
LINHA DE FRENTE
'Ele lutou até o final', diz irmã de médico de 28 anos, após quase um mês morreu de Covid-19
SEU BOLSO
Litro da gasolina sobe R$ 0,15 nas refinarias da Petrobras
ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Na calada da noite, namorado da avó estupra criança de 12 anos e é espancado por vizinhos
CONCURSO PÚBLICO
Concurso da Aeronáutica somam com as 21 mil vagas em outros concursos que a semana oferece
DEU RUIM
Jovem é atingido por raio enquanto usava celular no banheiro
PROVA DO ENEM
Confira as medidas de segurança durante a prova do Enem
SAIU O EDITAL
Com salário de até R$ 23,6 mil, Polícia Federal abre inscrição em concurso no dia 22
DESESPERO EM MANAUS
Médicos e familiares de pacientes descrevem colapso com falta de oxigênio em Manaus; leia relatos