Menu
SADER_FULL
quarta, 19 de janeiro de 2022
Busca
Brasil

PF indicia 22 por fraudes em licitações do PAC

24 Out 2009 - 10h17Por Folha Online

A Polícia Federal de Mato Grosso encaminhou ontem à Justiça Federal a conclusão do inquérito sobre supostas fraudes em licitações do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), do governo federal, nas cidades de Cuiabá e Várzea Grande. Ao todo, 22 pessoas foram indiciadas sob suspeita de envolvimento no esquema, que foi alvo da Operação Pacenas, deflagrada em agosto pela PF.

Na ocasião, foram cumpridos 11 mandados de prisão e 31 de busca e apreensão em Mato Grosso, São Paulo, Goiás e no Distrito Federal. Os indiciados não tiveram os nomes divulgados pela PF.

Entre os presos estavam o advogado José Antônio Rosa, ex-procurador da Prefeitura de Cuiabá, e quatro servidores que atuavam nas comissões de licitação da Sanecap (Companhia de Saneamento da Capital) --sigla que, invertida, batizou a operação da PF.

Também foram detidos o ex-prefeito de Cuiabá Anildo Lima Barros e Carlos Avalone, vice-presidente da Federação das Indústrias de MT. Todos os suspeitos foram depois soltos por decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região.

Segundo a PF, licitações para quase R$ 400 milhões em investimentos nas duas cidades foram direcionadas em benefício das empreiteiras Gemini (administrada por Lima Barros), Três Irmãos (de Carlos Avalone) e Concremax.

"Força política"

Ontem, em nota, a PF disse ter encontrado provas dos crimes de fraude à licitação e formação de quadrilha. Em um dos computadores apreendidos na operação, diz a polícia, havia instruções sobre como fraudar licitações do PAC.

"As empresas integrantes do esquema contam com grande força política, seja por pertencerem a políticos conhecidos em Mato Grosso ou por intenso contato de seus proprietários com políticos municipais", disse a PF, na nota.

O advogado Ulisses Rabaneda, que defende o ex-procurador José Antônio Rosa, disse ontem que ainda não havia tido acesso ao relatório, mas falou que a investigação não provou "absolutamente nada".

Huendel Wender, que atua na defesa do ex-prefeito Anildo Lima Barros, disse que seu cliente está "tranquilo" e que as acusações são "totalmente infundadas".

O advogado Paulo Fabrinny, que representa Avalone e o empreiteiro Jorge Pires de Miranda, da Concremax, chamou de "surreal" a investigação da PF. "O inquérito não tem pé nem cabeça, só gravações interpretadas de forma errônea ou tiradas de seu contexto."

 

Leia Também

BAIXA RENDA
Auxílio Gás: governo libera o pagamento no valor de R$ 52
COVID NO BRASIL
Covid-19: Brasil tem um aumento e registra 351 mortes em 24 horas
OMICRON
Brasil dobra contágio nas 24h e registra 74,1 mil novos casos de covid-19 e 121 mortes
LIÇÕES DA BIBLIA
Carne e Sangue como nós
ABUSO SEXUAL
Meninas escutam mãe contando de abuso sexual e fazem relato chocante sobre tio-avô
COVID NO BRASIL
Em 24 horas, foram confirmados pelas autoridades sanitárias 24.934 novos casos de Covid-19
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Jovem morre após ser atingido por avião agrícola pilotado pelo pai
TEMPORAL - VIDEO
Forte chuva derruba árvores e deixa 23 mil pessoas sem energia
COVID NO BRASIL
Em 24 horas, as autoridades de saúde notificaram 175 novos óbitos, totalizando 620.971
TRAGÉDIA
Deslizamento de terra destroi casarão histórico em Ouro Preto MG