Menu
SADER_FULL
terça, 11 de maio de 2021
Busca
Brasil

PF de MS e RJ desmontam quadrilha de traficantes

27 Jul 2004 - 17h31
A Polícia Federal prendeu ontem pela manhã em uma chácara às margens da MS 080, próximo a Rochedo, no Mato Grosso do Sul, Agnaldo Ferreira Vilela, proprietário de 32 quilos de cocaína que ele e o comparsa Wagner Yuzo Ishi, este já fugitivo da Justiça haviam levado no domingo passado para o Rio de Janeiro. Os dois presos encontravam-se fortemente armados com três espingardas, uma pistola e um revólver. No momento da prisão tentaram fugir, mas foram presos e estão na sede da PF em Campo Grande.

No fim de semana, a polícia carioca prendeu João Ricardo Lopes, no Rio, utilizando um caminhão para transportar a cocaína no interior do pneu de estepe. Com ele foi preso também o policial Rodolfo Cunha dos Reis, lotado na 50ª DP daquele Estado e o comparsa dele Fábio Nunes Ribeiro. Em diligências, a PF daquele Estado prendeu os outros componentes da quadrilha e agora deverá vir ao Estado buscar os outros presos.

Agnaldo Vilela estava sob condicional e foi indiciado no crime de “favorecimento pessoal” por dar guarida e proteger Wagner Yuzo, mesmo sabendo que ele é fugitivo da Justiça.
 
 
Campo Grande News

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVAS REGRAS
WhatsApp: o que acontece se você não aceitar novas regras do aplicativo até 15 de maio
FAMOSIDADES
Pai da campeã do 'BBB 21' Juliette vive em casinha de barro na Paraíba
CACHAÇA
Jovem enfia garrafa no ânus durante bebedeira e vai parar no hospital
ESCALADA DA VIOLÊNCIA
Operação mais letal da história deixa 25 mortos no Jacarezinho
VITIMA DO MASSACRE
'Fiquei vendo costurarem os ferimentos. Chorava, orava e agradecia por ele estar vivo, diz mãe
FRIO - FÁTIMA DO SUL NOVA ONDA DE FRIO
Frio de origem polar começa a ser sentido novamente e terá geada
TERROR NA CRECHE
Sob forte emoção moradores de Saudades realizam velório coletivo das vítimas do ataque à creche
CHEGANDO FORTE
Frio chega com força e provoca geada no Sul
TERROR EM CRECHE
Jovem invade escola e mata três crianças e duas funcionárias
PÉSSIMA PROJEÇÃO
Covid-19: Brasil deve alcançar 575 mil mortes em 1º de agosto, diz instituto