Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 3 de agosto de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Petrobras poderá aceitar gás por refinarias na Bolívia

22 Mai 2007 - 05h03

O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, indicou nesta segunda-feira que a estatal estaria disposta a receber em gás o pagamento pelas refinarias vendidas ao governo boliviano.

"Se a Bolívia propuser pagar em gás, vamos ter que analisar as condições de pagamento porque gás para nós é dinheiro. Agora, preferimos claramente receber em dinheiro", disse Gabrielli, num seminário sobre gás em São Paulo.

Ele ressaltou que se o pagamento for feito em gás, o valor terá de ser o de mercado.

A Bolívia anunciou este mês que comprará as duas refinarias da Petrobras naquele país por US$ 112 milhões, dentro do plano de nacionalização do governo de Evo Morales.

Em sua apresentação, Gabrielli afirmou que serão necessários de 25 a 30 anos para que ocorra uma integração energética na América do Sul, e citou que na Europa, a montagem de uma rede energética levou cerca de 50 anos.

"Cada país tem que definir regras. Não é fácil, mas é possível. O parlamento precisa aprovar lei", salientando que não adianta resolver a questão com o Exército, por exemplo, como fez a Bolívia.

"O Iraque está mostrando que não se consegue estabilidade com as Forças Armadas. Tem que haver uma relação de equilíbrio do ponto de vista formal e econômico", disse ele.

Perguntado se a relação com a Bolívia havia melhorado após o acerto da venda das refinarias, ele disse: "Não é uma questão de melhorar ou piorar, é uma questão de trabalhar os problemas a cada dia."

Gabrielli citou no evento pontos do plano estratégico da Petrobras na área de gás.

A companhia projeta a demanda máxima de gás em 2011 em 121 milhões de metros cúbicos/dia, praticamente o mesmo volume da oferta potencial no Brasil, sendo que a importação da Bolívia se estabilizaria em aproximadamente 30 milhões de metros cúbicos/dia.

Por outro lado, com invsetimentos da Petrobras de aproximadamente R$ 11 bilhões, a oferta de gás natural do Brasil praticamente triplicaria, para até 71 milhões de metros cúbicos/dia.

A oferta de GNL (gás natural liquefeito), hoje praticamente inexistente, cresceria para até 20 milhões de metros cúbicos/dia, considerando a produção nacional e também a importação de Trinidad e Tobago, Argélia, Qatar e Omã.

Segundo ele, o Brasil terá 11 campos novos de produção de gás não-associado a petróleo, o que permitirá uma melhor gestão desta oferta.

 

 

Invertia

Deixe seu Comentário

Leia Também

PERDAS NA PANDEMIA
Morre 5º pastor da Assembleia de Deus vítima da covid-19
TRAGÉDIA NAS ESTRADAS
Motorista bêbado atinge carro e mata 4 adultos e uma criança
LIMPA NOME
Serasa lança nova campanha para limpar nome por apenas R$ 100
FÁTIMA DO SUL - LUTO
Morre Pe. Bonfilho, aos 93 anos, ele dedicou 25 anos da sua vida a comunidade de Fátima do Sul
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Ex-vice prefeito, filho e sogra morrem por covid-19 em três dias
CENA DE TERROR
Após ser curado da Covid-19 dentista mata enfermeira e comete suicidio
BORA PRA BONITO - MS
Viajar para Bonito (MS) é o remédio para te fazer mais feliz!
LUTANDO PELA VIDA
Bebê diagnosticado com covid 4 dias após nascimento vence a doença
MORTE DE SERVIDORES
Sindicalista: Um carro de funerária atrás do outro e coroas de flores em todos os cantos
SAUDE
Após Covid-19, Bolsonaro diz estar com “mofo no pulmão” e infecção