Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 5 de dezembro de 2021
SADER_FULL
Busca
Brasil

Pesquisa revela que Internet chega a quase 40% da população de MS

14 Dez 2009 - 08h57Por Diário MS
Pesquisa divulgada na sexta-feira pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mostra que Mato Grosso do Sul ocupa a sexta posição entre os Estados brasileiros com maior número de pessoas que acessam a Internet. O levantamento é referente à evolução de internautas no país entre os anos de 2005 e 2008.
Conforme o IBGE, atualmente, 39,2% dos sul-mato-grossenses acessa frequentemente a rede mundial de computadores.
A pesquisa aponta que em três anos o acesso à internet praticamente dobrou no Estado. Em 2005, o estudo mostrava que 22,5% da população de MS havia acessado à internet nos três meses anteriores à pesquisa. De acordo com o órgão, o Estado ficou atrás somente de Brasília (1º), São Paulo (2º), Rio de Janeiro (3º), Santa Catarina (4º), Paraná (5º).
No país, a média de pessoas que acessaram a internet no ano passado foi de 34,8%. De acordo com a pesquisa, em 2008, 56 milhões de pessoas de dez anos ou mais de idade acessaram a internet pelo menos uma vez, por meio de um computador. O número de usuários corresponde a 34,8% da população nessa faixa etária e mostrou um aumento expressivo nos últimos três anos - em 2005, o porcentual era de 20,9%.
O aumento no acesso à internet se deu tanto para os homens (de 21,9% da população total masculina de dez anos ou mais em 2005 para 35,8% em 2008) quanto para as mulheres (de 20,1% para 33,9%).
As regiões Sudeste (40,3%), Centro-Oeste (39,4%) e Sul (38,7%) registravam os maiores porcentuais de usuários, e as regiões Norte (27,5%) e Nordeste (25,1%), os menores. Entre as os Estados, Alagoas (17,8%), Piauí (20,2%) e Maranhão (20,2%) apresentaram os menores porcentuais.
A utilização da internet era maior entre os mais jovens em 2008. O grupo de 15 a 17 anos de idade registrou o maior porcentual (62,9% da população dessa idade) de pessoas que acessaram a rede e, além disso, teve o maior aumento em relação a 2005 (quando era de 33,7%). A partir dessa faixa etária, o porcentual de usuários diminuía com a idade, chegando a 11,2% das pessoas de 50 anos ou mais. Esse grupo representava, em 2008, 24,8% da população total, mas correspondia a apenas 8,0% do total dos que tinham acessado a internet.
Ainda de acordo com a pesquisa, a proporção de pessoas que acessaram a internet no grupo de 10 a 14 anos de idade (51,1% da população dessa faixa etária) ficou acima das porcentagens de usuários em todas as faixas etárias a partir de 25 anos, em todas as regiões.

CELULAR

Ainda de acordo com o IBGE, em MS, 54,6% dos estudantes com 10 anos de idade ou mais têm aparelho celular. Dentre as pessoas que estavam trabalhando na semana de referência da pesquisa, 73,5% tinham aparelhos celulares. Em geral, a pesquisa mostrou que 63,7% dos sul-mato-grossenses com 10 anos ou mais tinham telefones móveis. A amostragem da pesquisa foi de 7.618 pessoas, em 16 municípios e 2.903 domicílios.
Considerando um total de 725 mil domicílios, 87,3% tinham aparelhos celulares enquanto apenas 34,4% tinham telefones fixos.

Leia Também

covid_04.12 COVID NO BRASIL
Covid-19: país tem 22,1 milhões de casos e 615,5 mil mortes
LIÇÕES DA BIBLIA
Deuteronômio em escritos posteriores
ABUSO DE AUTORIDADE
PM arrasta homem negro algemado em moto; "Como na escravidão", diz gravação
REVOLTANTE
Índia de 13 anos violentada pelo avô busca ajuda e acaba estuprada por 4 em unidade saúde
DOENTIO
Mulher descongela geladeira e encontra corpo de bebê escondido em sacola
PONTE BIOCEÂNICA
Ponte Bioceânica vai ganhar nova data de lançamento; Bolsonaro e Marito participam
AÇÕES DO GOVERNO MS
Com estados da região Sul, Azambuja quer integração ferroviária e união para redução de carbono
PIX SAQUE
Pix Saque começa hoje:comércio vê nova ferramenta como chamariz para clientes,mas teme por segurança
TRAGÉDIA NA LINHA DO TREM
vítima comemorou aniversário do marido um dia antes de morrer com a filha em acidente com trem
COVID NO BRASIL
Covid-19: Brasil registra 229 óbitos e 9,2 mil novos casos