Menu
SADER_FULL
terça, 13 de abril de 2021
BANNER EMAGRECEDOR VICENTINA
Busca
Brasil

Palocci diz que Petrobras é que decide aumento dos preços

20 Ago 2004 - 15h56
 

O ministro da Fazenda, Antonio Paloci, disse nesta sexta-feira que a alta do petróleo no mercado internacional preocupa porque não se tem segurança sobre como os preços vão evoluir. Segundo ele, há muitas avaliações para esse pico no preço e sobre quanto tempo os preços ficarão nesse patamar.

Palocci disse ainda que há um aumento da demanda internacional pelo produto devido ao crescimento econômico dos países em todos os continentes, além de questões geopolíticas. No entanto, afirmou que a Petrobras é quem vai definir como esse impacto vai se refletir no mercado brasileiro.

"A Petrobras tem uma política de preços que ela decide e que acompanha a movimentação dos preços internacionais de maneira defasada. Ano passado houve uma moderação muito razoável e este ano de novo quem pode resolver o que fazer é a empresa", afirmou o ministro, lembrando que um eventual aumento nos preços terá impacto na inflação.

 


Globo On line

Deixe seu Comentário

Leia Também

EXEMPLAR
Cidade modelo que vacinou 64% da população vê casos de covid-19 caírem 78%.
NOVO CÓDIGO DE TRANSITO
Novo Código de Trânsito entra em vigor na segunda-feira; veja mudanças
LOCKDOWN É A SOLUÇÃO?
Araraquara X Bauru: dois retratos do Brasil com e sem lockdown contra a covid-19
AGRICULTURA SUSTENTAVEL NO MUNDO
II Congresso Mundial de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta deve receber 1 mil inscrições
MORTANDADE
Brasil bate marca de 4 mil mortes por Covid registradas em um dia pela 1ª vez
COPA LIBERTADORES
Santos vence o San Lorenzo na Argentina e abre vantagem por vaga nos grupos da Libertadores
FATALIDADE
Técnico de informática morre após levar choque a partir de fone de ouvido
CANALHA
Pai comete estupro e diz que filha precisa saber "como é ter um homem"
SOB INVESTIGAÇÃO
Cantor gospel e pastor é encontrado morto e amarrado em árvore
CONTAMINAÇÃO
Igrejas superam mercado e consultório médico em risco de transmissão de Covid-19, aponta estudo