Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 2 de junho de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

OAB/MS divulga ranking dos cursos de Direito no Estado

7 Mai 2007 - 11h03

O presidente da OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil em Mato Grosso do Sul), Fábio Trad, divulgou nesta segunda-feira o desempenho dos egressos das faculdades de Direito do Estado no Exame de Ordem e o ranqueamento dos estabelecimentos de ensino superior de Mato Grosso do Sul. Pelo ranking divulgado pela entidade, a UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do sul) foi a instituição que mais aprovou bacharéis de Direito no Exame de Ordem, 28 dos 63 inscritos, num total de 44,44%.

Em segundo aparece a UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) que aprovou cinco dos 25 inscritos, ou seja, 20%, seguido pela Unaes, que aprovou 14 dos 77 inscritos, o que representa 18,18%, e UCDB (Universidade Católica Dom Bosco), que aprovou 31 dos 211 inscritos, ou seja, 14,69%.

Depois aparecem a FIP (Faculdades Integradas de Ponta Porã), que aprovou quatro dos 45 inscritos, ou seja, 8,89%, a Uniderp (Universidade para o Desenvolvimento do Estado e da Região do Pantanal), que aprovou 18 dos 205 inscritos, o que representa 8,78%, a Unigran (Centro Universitário da Grande Dourados), que aprovou nove dos 155 inscritos, ou seja, 5,81%, e a AEMS (Associação de Ensino e Cultura de Mato Grosso do Sul), de Três Lagoas, aprovou um dos 37 inscritos, o que significa 2,7%.

No total, segundo a OAB/MS, dos 923 candidatos do Estado que fizeram o Exame da Ordem, que é condição prioritária aos bacharéis de Direito para atuação na advocacia, apenas 117 foram aprovados para a segunda fase da prova, o equivalente a 12,68%. Esse índice coloca Mato Grosso do Sul entre os piores do Brasil em qualidade de ensino jurídico, conforme o resultado do primeiro Exame de Ordem Unificado aplicado em 18 Estados pela Fundação Centro de Ensino Superior da UnB (Universidade Nacional de Brasília).

Dos 18 Estados que participaram do primeiro Exame de Ordem Unificado, Mato Grosso do Sul ficou à frente apenas do Amapá, que aprovou 6% dos candidatos, e do Amazonas, com 9,98% de aprovados, sendo que Mato Grosso aprovou 13,75%. Segundo Fábio Trad, de 25 a 35% de aprovação é um índice razoável, até 15% é preocupante e abaixo disso é apocalíptico e catastrófico.

Ele destacou que a OAB só pode fazer uma análise especulativa do motivo de o índice de reprovação no Exame da Ordem no Estado ter sido catastrófico. “Eu acredito que seja uma deficiência estrutural no ensino jurídico. A prova da OAB não é e nem pretende ser fácil, mas também não é restritiva, ela só avalia a suficiência e com o passar do tempo vai aumentando a exigência”, disse, revelando que se não fosse o Exame da Ordem seriam seis milhões de advogados no Brasil e não 600 mil como são hoje.

Marco Ribeiro

Segundo Alexandre Bastos, presidente da Comissão de Estágio e Exame de Ordem da OAB/MS, o Exame da Ordem analisa o nível de suficiência de conteúdo, ou seja, se o conteúdo que o bacharel em Direito detém é suficiente para ele exercer a profissão, mas a análise constatou que os bacharéis recém-formados do Estado têm um nível insuficiente de conhecimento. “O nosso papel é fomentar a discussão dentro das universidades para que se melhore o nível de conhecimento dos alunos de Direito”, destacou, informando que hoje são mil faculdades de Direito no País.

 

Mídia Max

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS - NOVO EPICENTRO COVID-19
Dourados é novo epicentro do coronavírus em MS com mais de 300 casos confirmados
AUXÍLIO EMERGENCIAL
Caixa LIBERA 2ª parcela do auxílio de R$ 600 em contas dos beneficiários, veja os meses
ABSURDO
Médica relata ter sofrido agressões por parte de frequentadores de 'festas de corona'
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Menino de 9 anos, acidentalmente mata irmã de 7 anos com espingarda
TRAGEDIA NA RODOVIA
Mulher gravida e marido morrem e criança fica ferida em acidente trágico
PANDEMIA CORONAVIROS
Vai ser ''um massacre'', diz ex-diretor da Saúde sobre flexibilizar isolamento
BOA NOTICIA
Bolsonaro diz que auxilio emergencial pode ter quarta parcela, mas pagando menos
PRAZO MÁXIMO
Acordo prevê máximo de 20 dias para análise de auxílio emergencial
FÁTIMA DO SUL - BOLETIM CORONAVÍRUS
BOLETIM: Fátima do Sul tem mais 04 casos confirmados, sobe para 69 e tem 12 pacientes recuperados
EPICENTRO DA COVID-19
Brasil aproxima de 30 mil mortes pela Covid-19