Menu
SADER_FULL
domingo, 9 de maio de 2021
Busca
Brasil

Nunca houve virada num 2º turno presidencial

8 Out 2010 - 05h49

São minoritários os casos em que um candidato vai para o segundo turno com minoria de votos e acaba ganhando a disputa. Até hoje, esse fato nunca foi registrado em eleições presidenciais.

Nas 70 eleições de governadores nas quais houve segundo turno até hoje (o sistema começou a ser usado em 1990), apenas em 20 (28,6%) ocorreram viradas. Ou seja, só em 3 de cada 10 segundos turnos o candidato que terminou em inferioridade de votos o primeiro turno acabou depois passando a liderar e venceu o pleito.

Neste ano haverá dez segundos turnos: para presidente (será a quarta vez na história), em oito Estados e no Distrito Federal.

No caso da disputa pelo Planalto, Dilma Rousseff (PT) terminou o primeiro turno com 46,9%. José Serra (PSDB) teve 32,6%. A diferença entre ambos foi de 14,3 pontos percentuais.

Em eleições presidenciais, já houve um caso em que a diferença foi menor do que a atual entre os dois concorrentes no segundo turno: em 2006, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ficou somente 7 pontos percentuais à frente de Geraldo Alckmin (PSDB). Mesmo assim, o petista acabou vencendo.

Analisados os cenários nos Estados, é possível encontrar só um caso de virada no qual a diferença entre os dois concorrentes era maior do que os 14,3 pontos que separam Dilma e Serra.

Esse cenário inusitado teve como palco a disputa pelo governo de Minas Gerais, em 1994. Naquela eleição, Hélio Costa (PMDB) terminou o primeiro turno com 48,3% dos votos. O outro candidato era Eduardo Azeredo (PSDB), com meros 27,2%. Quando os votos foram contados no segundo turno, o peemedebista obteve 41,3% contra 58,6% do tucano.

CURVA

Mas essa virada foi um ponto fora da curva nas histórias de segundos turnos. Em 16 dos 20 casos em que o azarão disparou no final, a diferença entre os dois candidatos no primeiro turno era inferior a 10 pontos percentuais. E em 9 dessas 16 viradas, a distância era abaixo de 5 pontos percentuais.

Em resumo, a inversão de posição entre candidatos existe na história dos segundos turnos. Mas é sempre um acontecimento fora do padrão e mais fácil de acontecer quando os concorrentes terminam bem mais próximos no primeiro turno.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ESCALADA DA VIOLÊNCIA
Operação mais letal da história deixa 25 mortos no Jacarezinho
VITIMA DO MASSACRE
'Fiquei vendo costurarem os ferimentos. Chorava, orava e agradecia por ele estar vivo, diz mãe
FRIO - FÁTIMA DO SUL NOVA ONDA DE FRIO
Frio de origem polar começa a ser sentido novamente e terá geada
TERROR NA CRECHE
Sob forte emoção moradores de Saudades realizam velório coletivo das vítimas do ataque à creche
CHEGANDO FORTE
Frio chega com força e provoca geada no Sul
TERROR EM CRECHE
Jovem invade escola e mata três crianças e duas funcionárias
PÉSSIMA PROJEÇÃO
Covid-19: Brasil deve alcançar 575 mil mortes em 1º de agosto, diz instituto
SONHO INTERROMPIDO
Jovem perde noivo para a Covid-19 no dia do casamento: 'Nossos sonhos ficaram para trás'
PANDEMIA CORONAVIRUS
Triste número: Brasil ultrapassa 400 mil mortes por Covid-19
REVOLTA
Pastor zomba da fé dos indígenas Trukás que revoltados quebram templo em construção; veja o vídeo