Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 13 de abril de 2021
SADER_FULL
Busca
Brasil

Número dois da Al-Qaeda reaparece em vídeo

9 Set 2004 - 14h39
 A dois dias de o maior antentado terrorista da História completar três anos, o número dois na hierarquia da Al-Qaeda, Ayman al-Zawahri, apareceu nesta quinta-feira em um novo videoteipe, dizendo que as forças dos Estados Unidos apenas limitaram o movimento dos extremistas no Afeganistão.

Zawahri, o braço-direito de Osama bin Laden, fala por vários minutos na gravação, divulgada pelo canal de notícias árabe Al-Jazeera.

Ele parece um pouco mais grisalho do que em imagens anteriores, mas parece estar com boa saúde. Ele usa um turbante branco e tem uma metralhadora ao seu lado.

- O Leste e o Sul do Afeganistão tornaram-se uma arena aberto para os mujahideen (combatentes da jihad). O inimigo está limitado às capitais. Os americanos estão se escondendo em suas fronteiras e se recusam a sair para enfrentar os mujahideen, enquanto os mujahideen os bombardeiam, disparam contra eles e bloqueiam as estradas ao redor deles.

 
O Globo

Deixe seu Comentário

Leia Também

EXEMPLAR
Cidade modelo que vacinou 64% da população vê casos de covid-19 caírem 78%.
NOVO CÓDIGO DE TRANSITO
Novo Código de Trânsito entra em vigor na segunda-feira; veja mudanças
LOCKDOWN É A SOLUÇÃO?
Araraquara X Bauru: dois retratos do Brasil com e sem lockdown contra a covid-19
AGRICULTURA SUSTENTAVEL NO MUNDO
II Congresso Mundial de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta deve receber 1 mil inscrições
MORTANDADE
Brasil bate marca de 4 mil mortes por Covid registradas em um dia pela 1ª vez
COPA LIBERTADORES
Santos vence o San Lorenzo na Argentina e abre vantagem por vaga nos grupos da Libertadores
FATALIDADE
Técnico de informática morre após levar choque a partir de fone de ouvido
CANALHA
Pai comete estupro e diz que filha precisa saber "como é ter um homem"
SOB INVESTIGAÇÃO
Cantor gospel e pastor é encontrado morto e amarrado em árvore
CONTAMINAÇÃO
Igrejas superam mercado e consultório médico em risco de transmissão de Covid-19, aponta estudo